sexta-feira, 14 de setembro de 2018

Michael Pollan fala sobre nutrição, cultura alimentar e obsessões insalubres com uma alimentação saudável


Michael Pollan fala sobre nutrição, cultura alimentar e obsessões insalubres com uma alimentação saudável.
Traduzido pelo Google e adaptado por Júci de Paula. Texto original postado por Alice Dishes em seg, 5 de maio de 2014 às 08:00, link aqui.


Na noite de quinta-feira, Michael Pollan, o (praticamente) Capitão da Cruzada do mundo da alimentação ética e agricultura sustentável, regalou uma casa quase lotada no Teatro Nourse, em São Francisco. Pollan, que nos últimos 25 anos tem escrito livros e artigos sobre o lugar que a natureza e a cultura cruzam - e onde o governo frequentemente interfere – tornou-se mais do que um jornalista. Ele também é um artista, embora o seja com mensagens sérias.
A aparição de Pollan, como parte da série City & Arts Lecture, estava sendo gravada para um documentário. Depois de alguns exercícios de "aquecimento" para o público, Pollan avançou corajosamente no palco, carregando três sacolas de papel pardo.
Enquanto ele desempacotava suas compras, ele lembrou-nos que os alimentos processados e as alegações que eles fazem são simplesmente errados, isto sem mencionar que o mal que são para nós.
"Healthy Choice Grilled Chicken: 'Healthy Choice' [N.T. Escolha saudável frango grelhado: ‘escolha saudável’], claro, é uma marca, não uma declaração de fato."
"Neuro Drinks [N.T. Bebidas para os neurônios]: assim chamado para sugerir algo inteligente. Bem, eles entram na sua cabeça!"
"Easy Cheese [N.T. Queijo Fácil]: O rótulo diz que é feito com queijo verdadeiro. Se alguma coisa te diz que é real, provavelmente é uma admissão de que não é."
Pollan tem empatia com o público no tocante o quão difícil é fazer as escolhas certas no supermercado. Ele apontou que um pequeno recipiente de iogurte Yoplait tem a mesma quantidade de açúcar que uma garrafa de Coca-Cola, e ainda assim os pais estão alimentando seus filhos com iogurte acreditando que é saudável. "Iogurte tornou-se o mais recente sistema de entrega de açúcar. Ele se tornou o estranho traiçoeiro. Não admira que as pessoas estejam confusas", diz ele.
Fazer boas escolhas sobre o que comer também significa empregar um profundo conhecimento da bioquímica. Pollan tocou no crescente fenômeno da ortorexia (Nervosa). Definido como uma obsessão doentia por uma alimentação saudável, seu ponto talvez tenha atingido um nervo na multidão de San Francisco que gosta de comida.
O verdadeiro vilão do discurso de Pollan, no entanto, era o nutricionismo - a ideia de que um alimento é a soma de todos os nutrientes nele contidos. Essa ideologia divide os nutrientes em dois baldes: o mal (isto é, as gorduras trans) e os abençoados (isto é, vitaminas). O problema é que a indústria alimentícia sequestrou esses nutrientes e os usou como truques de marketing. E quando as tendências e crenças mudam, o mesmo acontece com os alimentos que as empresas produzem. "Nutricionismo dá uma vantagem aos alimentos processados. Eles podem ser manipulados para seguir as tendências como uma forma de vender mais alimentos", diz Pollan. [N.T.: recomendo a leitura deste: http://www.lowcarb-paleo.com.br/2018/01/a-bizarra-definicao-do-saudavel.html ]
As gorduras foram (erroneamente) identificadas e difamadas como causa de doenças cardíacas a partir do final da década de 1970. Hoje, os argumentos contra a gordura estão desmoronando, mas nas décadas seguintes toda uma indústria "Snackwell" surgiu com zero ou baixo teor de gordura e implicando algum tipo de benefício para a saúde. Durante esse período exato, a incidência de doenças cardíacas e diabetes tipo 2 disparou, enquanto as pessoas evitavam as gorduras e, inadvertidamente, consumiam mais carboidratos e açúcar.
"Nós merecemos uma desculpa [do governo] pela campanha de baixo teor de gordura", diz Pollan, apontando que a crescente crise de saúde e seus custos associados estão diretamente correlacionados com o que estamos comendo. Estudos globais provaram repetidas vezes que a "Dieta Ocidental", que consiste fortemente em culturas como soja, milho e trigo, teve sérios impactos negativos em nossa saúde.
"Antes de termos a ciência dos alimentos, tínhamos cultura alimentar", diz Pollan. "As comidas tradicionais... a sabedoria concentrada e repassada do grupo." Como muitos, ele acredita que, se voltarmos aos hábitos alimentares de nossos ancestrais, em um nível individual, poderemos reverter rapidamente os efeitos negativos da Dieta Ocidental na saúde.
Ele conclui seu discurso referindo-se ao seu livro Food Rules [Regras da Comida - https://www.buscape.com.br/search/regras-da-comida-michael ]- uma leitura rápida, com velhas ideias que nos ajudam a navegar nas novas circunstâncias em que encontramos nossa comida:
·         "Não compre cereais que mudam a cor do leite."
·         "Evite produtos que contenham mais de cinco ingredientes."
·         "Não compre alimentos que você vê anunciados."
E ele lembrou-nos que a comida está viva e deve eventualmente morrer ou apodrecer, diferentemente do pão de trigo Wonder [N.T.: marca] que ele tem em seu escritório há mais de seis meses. "A cultura alimentar deve ser nossa", diz Pollan. "Nós sabemos o suficiente para comer bem."

Nenhum comentário:

Postar um comentário