quarta-feira, 1 de março de 2017

Em defesa do monstro laranja

Texto original de Júci de Paula


Quando se começa um estilo alimentar, seja por orientação de um profissional competente, seja por vídeos ou leituras de artigos na internet, é normal, na fase de adaptação, que algumas informações sejam distorcidas, faz parte do próprio processo de aprendizagem. Hoje, falaremos do Monstro Laranja, uma caricatura que criaram para um vegetal inocente, com baixo teor de amido/carboidratos (relativamente baixo, lembre-se disto), muito gostoso por sinal e que eu como quase toda semana, a CENOURA.

Um dos jeitos mais fáceis de “ensinar” quem está começando a comer Comida de Verdade, no estilo alimentar Paleo ou Primal, aliado à Estratégia Low Carb, que eu chamo de PPLC, é dizer “se nasce embaixo da terra, evite, porque contém muitos carboidratos” e, como quase todo “jeito fácil”, ele está simplificado demais e ERRADO. Junte-se a isto a nossa tendência atual ao BINARISMO, esta nova mania de assumir que, se vermelho é ruim, então necessariamente é azul é bom, e a desgraça está completa.

Vamos pensar: cenoura dá EMBAIXO da terra e tem 7 g de carboidratos em cada 100 g de cenoura crua. Em compensação, milho verde dá EM CIMA da terra e tem 28 g em 100 g. E, leve em conta: comer 200 g de cenoura cozida é meio, digamos, hã, difícil. 200 g de milho cozido? RÁ! Fácil, fácil! Se puser uma manteiga por cima, então, eu como logo uns 400 (e depois passo mal no troninho, mas, ok, não vamos fugir do assunto, né? :P ). Vê, como tanto o binarismo, bem como assumir que “se dá embaixo da terra, é cheio de carboidrato” é falho?

Qual é a vacina pra este pensamento raso? CONHECIMENTO. Que tal começar por aqui, ó, conhecendo os Vegetais de Baixo Amido (http://www.lowcarb-paleo.com.br/2015/10/os-vegetais-de-baixo-amido-low-carb-nao.html)? E por aqui, também, Tabela TACO (http://www.unicamp.br/nepa/taco/contar/download.php?arquivo=Taco_4a_edicao_2011.xls), que traz quantidades de carboidrato e nutrientes para os alimentos brasileiros mais usados? São bons lugares para se começar. ;)

E, por último: todo mundo que faz uma dieta saudável precisa saber disto? NÃO. Mas se vai falar na internet ou opinar para outra pessoa sobre o que comer e/ou não comer, de acordo com tal estratégia alimentar, TEM QUE SABER, SIM. Este lance de sair condenando beterraba, aliás, outra injustiçada, 7,2 g de carboidratos líquidos em 100 g, cenoura, cebola, aipo, nabo, rabanete, apenas porque elas “nascem debaixo da terra”, não tá com nada!

Está em uma estratégia alimentar de Low Carb, seja aliada a uma dieta como Primal, Paleo, Tradicional Brasileira ou Reeducação Alimentar, dá pra pensar em cenoura como opção de alimento, SIM, tranquilamente.

PS: estou dizendo “coma cenoura, x vezes por semana/mês para ter tal benefício”? Não, né? Só estou dizendo que, se quiser, é perfeitamente “encaixável” e não precisa ficar com medo do “Monstro Laranja” que de monstro mesmo não tem nada.
PS2: eu sei que “milho não é Paleo, não é Primal e muito menos Low Carb”... Conversa pra outra hora, gente. Prometo!


Para ficar por dentro das atualizações,
CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK:
PARTICIPE DO NOSSO GRUPO NO FACEBOOK:
E SE INSCREVA NO NOSSO CANAL NO YOUTUBE:




Nenhum comentário:

Postar um comentário