terça-feira, 4 de outubro de 2016

Síndrome do Ovário Policístico - O problema é a solução

PCOS - The Problem is the Solution
By Laura Carr (GreenerFarmacy)
Publicado em 3 de outubro de 2016


 Setembro foi o mês da consciência da SOP [Síndrome do Ovário Policístico], e enquanto eu estou um pouco atrasada para lançar este post, eu queria ter certeza que eu publiquei algo, uma vez que eu, pessoalmente, entendo as lutas desta condição feminina cada vez mais comum e difícil.
Eu fui uma entre os 10% de mulheres que sofrem com SOP (e sua complicação relacionada à infertilidade), e como minha recuperação foi inteiramente com base em nutrição, escrever este post vem de dentro do meu coração!

VISÃO GERAL DA SOP

SOP significa Síndrome do Ovário Policístico e é o termo usado na comunidade médica para se referir a uma variedade de desequilíbrios hormonais no corpo de uma mulher que muitas vezes acompanham e contribuem para a irregularidade do ciclo menstrual e um estado de infertilidade.
Muitas vezes esta condição inclui a presença de cistos ovarianos; no entanto, a presença de cistos ovarianos não é realmente um requisito para um diagnóstico médico de SOP, que se caracteriza principalmente por uma série de sintomas, principalmente desequilíbrios hormonais - e não apenas os hormônios reprodutivos, como progesterona, estrogênio, LH/FSH, androgênios e testosterona - mas também hormônios da tireóide e insulina, que regulam a temperatura corporal basal, o metabolismo de glicose no sangue, o armazenamento de gordura, o apetite, e outros fatores de apoio indiretamente envolvidos na regulação de hormônios femininos. As funções da tireóide e da insulina fornecem apoio indireto, mas intimamente relacionado, para a produção de hormônios sexuais.
Outros sintomas comuns da SOP podem incluir períodos menstruais dolorosos, irregulares ou ausentes, falta de ovulação, acne, aumento de pelos ou crescimento anormal, problemas de tireóide, níveis hormonais inadequados, e excesso (ou deficiência) de peso corporal e/ou gordura corporal.

A PRINCIPAL CAUSA DA SOP: RESISTÊNCIA À INSULINA + INTOLERÂNCIA À CARBOIDRATOS

SOP está se tornando assustadoramente prevalente nos EUA e em outros países ocidentais, com uma taxa de diagnóstico de 1 em cada 10 mulheres, mas é uma condição relativamente “nova”. A comunidade médica admite que ainda não foi totalmente desenvolvida uma compreensão em profundidade e uma metodologia de tratamento bem sucedida para a SOP. Tratamentos farmacêuticos atuais disponíveis para SOP não são tão bem sucedidos ou adequados em questão de reverter a situação.
O que é claro e indiscutível na investigação científica e médica atual é que a SOP é uma questão altamente complexa e que as mulheres com SOP têm quase sempre um certo grau de problemas de manejo do açúcar no sangue, caracterizados por um excesso de insulina (hiperinsulinemia) e intolerância aos carboidratos – seja num primeiro estágio de resistência à insulina, num estágio mais avançado de pré-diabetes, ou na forma plena de diabetes (geralmente do tipo 2). É por isso que a metformina ou Glifage - que são medicamentos para o diabetes - são frequentemente prescritos para mulheres com SOP, embora a eficácia desses medicamentos na SOP (mesmo em combinação com terapias hormonais e/ou medicamentos para a promoção da fertilidade) não é muito alta e a condição não é considerada como utilização primária do medicamento.
A resistência à insulina, que na sua forma avançada apresenta-se como pré-diabetes e diabetes, é causada pela incapacidade do organismo de processar adequadamente um excesso de carboidratos e açúcar. Em resposta a níveis de açúcar no sangue cronicamente elevados, o corpo bombeia um excesso de insulina. A insulina tem duas funções primárias - 1) regular os níveis de açúcar no sangue através do transporte da glicose sanguínea (açúcar/carboidratos são quebrados na forma de glicose) para dentro das células, 2) converter o excesso de energia da glicose em triglicerídeos (gordura) para uso futuro.
Assim como os hormônios sexuais femininos, a insulina é um hormônio, e sua produção é gerida pelo eixo HPA, o diretor do sistema endócrino. Gestão adequada de açúcar no sangue e regulação/produção de insulina, embora não diretamente relacionados à produção de hormônios sexuais, devem estar em sólida ordem de trabalho para permitir amplo suporte, apoio e recursos que estejam disponíveis para a produção de hormônios sexuais, que depende fortemente de esteróis derivados de gorduras saudáveis (colesterol). Em um estado de resistência à insulina, pré-diabetes ou diabetes, uma alta ingestão de açúcar e carboidratos de pouca fibra e pobre em nutrientes (como pães, cereais, massas, pizzas, sobremesas, biscoitos, batatas fritas, suco, refrigerante, doces, açúcar, comidas e bebida adoçadas, produtos à base de batata, etc.) criou uma crise no nível de glicose sanguínea que requer uma superprodução de insulina para manter estáveis os níveis de açúcar no sangue. Quando isso ocorre, a maior parte dos recursos do sistema endócrino são deslocados da produção de hormônios sexuais e, em vez disso, alocados no gerenciamento da glicose sanguínea, criando um estado que varia de leve a grave desequilíbrio hormonal prevalente na SOP.

SOP + NUTRIÇÃO - O PROBLEMA É A SOLUÇÃO

A maior causa subjacente da SOP é nutricional e está relacionada com complicações relacionadas à (in)fertilidade. Felizmente, a nutrição é também a solução mais fácil, livre de risco/efeitos colaterais, acessível e eficaz para SOP.
A SOP e suas complicações relacionadas à (in)fertilidade podem ser resolvidas pela nutrição + mudanças de estilo de vida somente. Posso pessoalmente, profissionalmente e academicamente testemunhar isso - e é uma das principais razões pelas quais me tornei uma praticante da terapia nutricional holística. Eu utilizei hormônios artificiais + bio-idênticos, Metformina e espironolactona durante anos para tentar resolver os meus problemas de SOP e infertilidade. Nada funcionou e os efeitos colaterais eram terríveis. Um dia eu parei e procurei tratamentos alternativos - nutrição foi a única coisa que funcionou para mim.
E, ao que parece, eu não sou a única. Pesquisas científicas apoiam totalmente a eficácia da terapia nutricional em reverter a resistência à insulina, a SOP, desequilíbrios hormonais e infertilidade, em especial em uma dieta com alimentos naturais de baixo carboidrato.
Quando olhamos para o aumento drástico no consumo de carboidratos processados e refinados e açúcar ao longo das últimas décadas, vemos exatamente como a SOP - uma condição de resistência à insulina e intolerância à carboidratos e açúcar, e deficiências nutricionais - tem se tornado comum juntamente com aumentos alarmantes no Diabetes Tipo 2. Juntando isso com as deficiências nutricionais e de energia resultantes de uma baixa ingestão de carboidratos, gorduras e proteínas de fontes naturais, integrais e saudáveis, nós temos a combinação perfeita e a propensão ainda maior para a SOP e complicações relacionadas à (in)fertilidade.
Por causa disso, a maioria das mulheres (incluído meu antigo EU!) que tem lutado com a SOP e complicações relacionadas à (in)fertilidade não está consumindo o equilíbrio correto de macro (e micro!) nutrientes para sustentar níveis estáveis de glicose sanguínea, evitar a resistência à insulina, e fornecer a quantidade certa de energia + nutrientes para as suas necessidades de fertilidade. Elas precisam ajustar o tipo, a quantidade e as proporções de carboidratos, proteínas e gorduras que consomem para melhor apoiar o seu corpo e reduzir a resistência à insulina.
NOTA: É importante notar que a SOP afeta mulheres de todos os tamanhos - mas os desequilíbrios nutricionais básicos (geralmente um perfil de macronutrientes demasiadamente elevado em carboidratos refinados, pobres em nutrientes e de pouca fibra, e a deficiência de alguns tipos de proteína e gordura) são muitas vezes semelhantes para todas as mulheres, independente do tamanho.
Felizmente, porque a alimentação é o problema, também é a solução. Há uma esperança real para a reversão da SOP por meio de uma alimentação sustentada.

EQUILÍBRIO DE MACRONUTRIENTES: UM PRIMEIRO PASSO PARA REVERTER A SOP

A mudança mais importante que uma mulher pode fazer em casa para combater a SOP é reequilibrar as proporções que ela consome de carboidratos, proteínas e gorduras, para que ela possa diminuir níveis cronicamente elevados de açúcar no sangue e resistência à insulina, enquanto aumenta os nutrientes de apoio hormonal.
A maioria das mulheres que entra em meu escritório está consumindo uma dieta muito rica em carboidratos e muito pobre em proteínas e/ou gorduras - geralmente elas estão recebendo >50% de suas calorias diárias a partir de carboidratos, e <20% de proteínas, e o resto a partir de gorduras. Se queremos apoiar a produção de hormônio feminino saudável (para não mencionar o peso corporal saudável e livre de diabetes!), esses índices simplesmente não vão fazer isso!
Mulheres com SOP precisam aderir a uma dieta de mais baixo carboidrato que elimine todo o açúcar, e reduza carboidratos processados e refinados para o mínimo, incluindo alimentos pobres em nutrientes, de baixa fibra, como pães, cereais, massas, pizzas, sobremesas, biscoitos, barras de cereais, granola, salgadinhos, sucos, refrigerantes, doces, açúcar, comidas e bebidas adoçadas, frutas secas, produtos à base de batata, etc. Dependendo do perfil nutricional bioindividual da mulher, as necessidades de energia + nutrientes, e severidade da resistência à insulina e intolerância a carboidratos, ela pode até mesmo ter a necessidade de seguir em uma dieta de muito baixo carboidrato, eliminando até formas mais saudáveis de grãos (feijão, arroz, batata, amidos e até mesmo frutas). Outras mulheres podem ser capazes de tolerar (ou mesmo necessitar) alguns desses carboidratos saudáveis.
No entanto, as mulheres devem ter cuidado para não entrar em uma dieta muito baixa em carboidratos, pois ela pode ter um efeito rebote indesejado em algumas mulheres - se o corpo de uma mulher sente uma falta de energia (ou mesmo apenas percebe a possibilidade de uma escassez de energia), pode entrar em modo de fome e desligar as funções não vitais do corpo, como tireóide e/ou produção de hormônios sexuais. Assim, ela pode não ser capaz de obter a energia ou nutrientes de que necessita.
É importante lembrar que a nossa bioindividualidade humana e metabólica faz com que o limite de carboidratos seja diferente para diferentes mulheres. Embora uma dieta cetogênica possa ser boa para uma mulher, ela pode ser prejudicial para outra. Muitas vezes é útil trabalhar em conjunto com um praticante de terapia nutricional para avaliar e determinar esse limite - e certificar-se do número certo, da proporção e do tipo de carboidratos a serem consumidos.
Quando reduzimos o percentual de carboidratos consumidos, nós naturalmente devemos aumentar a ingestão percentual de proteínas/gorduras - e isso é extremamente útil para a produção de hormônios sexuais, uma vez que estamos consumindo variedades densamente nutricionais. Os hormônios sexuais são fabricados a partir de gorduras e proteínas, e um amplo consumo de ambos é crucial para restaurar o equilíbrio hormonal. Uma mulher que não consome proteína animal e gorduras saudáveis (de azeitonas, abacates, gorduras animais, nozes e sementes cruas) suficientes, vai lutar com o desequilíbrio hormonal e a resistência à insulina, independentemente de seu tamanho. Baixo teor de gordura (<30%) e/ou dietas de baixa proteína (<20%) não suportam o equilíbrio hormonal ou a recuperação da SOP, e podem perpetuar a condição. A maioria das mulheres precisa proporções significativamente mais elevadas de proteína e gordura (e novamente, o número exato dependerá do seu perfil nutricional individual).
O que é importante lembrar na adoção de alterações nutricionais é que um estado de níveis cronicamente elevados de glicose sanguínea e resistência à insulina (ou pré-diabetes/diabetes), e deficiências nutricionais não é uma coisa que ocorreu da noite para o dia, como resultado de se comer uma banana extra. Desequilíbrio hormonal e resistência à insulina ocorrem ao longo do tempo - e, dessa forma, não devemos esperar que a reversão dessas condições aconteça instantaneamente. Pode levar alguns (ou, mais provavelmente, muitos) meses para restaurar a sensibilidade adequada à insulina e reconstruir reservas de nutrientes suficientes que permitam ao organismo alocar de forma consistente os recursos para a produção de hormônios sexuais. Mas manter-se nesse novo estilo de vida irá criar um corpo mais feliz, mais saudável e resultar em melhor funcionamento do sexo feminino.
(E lembre-se - como o título desta seção sugere - o reequilíbrio de macronutrientes é apenas um primeiro passo para superar a SOP. A maioria das mulheres precisa de suporte nutricional adicional específico, que eu espero explorar mais em posts posteriores.)

NOTA FINAL: SOP + COMPORTAMENTOS ALIMENTARES ANORMAIS

No meu passado pessoal e experiência de trabalho em clínica privada de terapia nutricional, acho que as mulheres com desequilíbrio hormonal, SOP, e/ou resistência à insulina/pré-diabetes/diabetes, muitas vezes, têm ou tiveram uma relação desordenada com comidas/bebidas, não limitado a: alimentação em excesso ou deficiência, compulsão alimentar, distúrbios alimentares clínicos, anos de dieta crônica yo-yo, e/ou um vício em exercício, álcool, cafeína, açúcar, carboidratos ou outra comida/bebida.
Se você é uma dessas mulheres (e tenha a certeza, existem muitas de nós, admitindo ou não), sabe que comportamentos alimentares anormais, infelizmente, não ajudam - e podem de fato causar - o seu desequilíbrio hormonal, resistência à insulina/pré-diabetes/diabetes e SOP. Buscar terapias mentais e nutricionais e apoio será um componente necessário para restaurar sua saúde a longo prazo da mente e do corpo.
  

References:



Para ficar por dentro das atualizações,
CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK:
PARTICIPE DO NOSSO GRUPO NO FACEBOOK:
E SE INSCREVA NO NOSSO CANAL NO YOUTUBE:


2 comentários:

  1. pode ser feito este re-equilibrio hormonal enquanto se pratica o jejum e autofagia?

    ResponderExcluir
  2. SOP tem relação com ciclos menstruais irregulares e infertilidade. Na prática, sabe-se que, em alguns casos, o jejum pode afetar o ciclo menstrual de algumas mulheres (não é regra, mas no meu caso aconteceu: fazendo jejum regularmente, minha menstruação cessou). Então, eu entendo que, para as mulheres que estão tentando melhorar da SOP, o jejum não seria o mais indicado (como eu disse: não é regra - para algumas mulheres o jejum pode não ter nenhum impacto nisso, já para outras...)

    ResponderExcluir