sexta-feira, 30 de setembro de 2016

Nova teoria sobre como a resistência à insulina, doença metabólica, começa

New Theory on How Insulin Resistance, Metabolic Disease Begin
Duke Health
Publicado em 16 de setembro de 2016

Newswise — DURHAM, N.C

Comer açúcar demais causa Diabetes Tipo 2?
A resposta pode não ser simples, mas um estudo publicado em 26 de setembro no Journal of Clinical Investigation se junta a pesquisas que relacionam o consumo excessivo de açúcar - especificamente, a frutose - a um aumento de doenças metabólicas em todo o mundo.

quinta-feira, 29 de setembro de 2016

O fracasso do paradigma da glicose sanguínea

Failure of the Blood Glucose paradigm T2D
by Jason Fung

O paradigma de tratamento atual de Diabetes Tipo 2 (DT2) é o paradigma da glicose sanguínea. Sob este paradigma, a maior parte da toxicidade do DT2 é resultado da hiperglicemia. Portanto, conclui-se que a redução de glicose no sangue vai melhorar as complicações, mesmo que não estejamos tratando diretamente o próprio diabetes tipo 2 (alta resistência à insulina). O estudo ACCORD foi um teste desse paradigma da glicotoxicidade e, infelizmente, um fracasso total e completo. Os pacientes foram randomizados para um controle rígido de glicose no sangue versus controle usual, com a expectativa de que um controle rígido fosse mostrar enormes benefícios. Em vez disso, o estudo provou não haver nenhum.

quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Quanto de proteína é excessivo?


How much protein is excessive?
by Jason Fung

Como discutimos anteriormente, o excesso de proteína é transformado em glicose e, então, em gordura. Mas quanto de proteína é excessivo? Essa é a verdadeira questão que mexe com todos e gera controvérsias. A dose diária recomendada paraum adulto é de 0,8g/kg por dia. Como chegamos nesse número? Vamos começar do início.
Em primeiro lugar, eu estou lidando com o estado estacionário aqui. Se você está tentando construir magra (músculo), então você pode precisar de mais proteína. Se você estiver grávida ou amamentando ou uma criança em fase de crescimento, então as exigências de proteína são mais elevadas porque você está tentando adicionar proteínas ao seu corpo. Esta discussão trata apenas de adultos em um estado relativamente estável.

quinta-feira, 15 de setembro de 2016

Gordura na dieta e hiperinsulinemia

Dietary Fat and Hyperinsulinemia
by Jason Fung

Eu sempre recomendei mudar para uma dieta com mais gorduras naturais e menos carboidratos refinados. Qual é o negócio com a gordura na dieta? Simplificando, a gordura dietética não aumenta a insulina. E hiperinsulinemia é o principal motor da obesidade. A hiperinsulinemia significa, literalmente, elevados de insulina no sangue (hiper significa alto, e -emia significa níveis sanguíneos).
Então, logicamente, trocar carboidratos refinados (levanta insulina) por gordura dietética, pode diminuir os níveis de insulina significativamente, mesmo se você consumir o mesmo número total de calorias. Mas o que é tão diferente sobre a gordura dietética em comparação com proteínas e carboidratos que torna isso verdadeiro? Tudo se resume às diferentes formas pelas quais as proteínas e gorduras são metabolizadas.

terça-feira, 13 de setembro de 2016

Carboidratos bons, carboidratos ruins - Obesidade hormonal XV

Good Carbohydrates, Bad Carbohydrates – Hormonal Obesity XV
by Jason Fung

Há controvérsia em torno de saber se os carboidratos são bons ou ruins. O movimento low-carb (a investida Atkins) do final dos anos 1990 e 2000 foi muito importante para chamar a atenção para o papel dos carboidratos na obesidade. Carboidratos são bons ou ruins? Opiniões estão por todo o lugar. Muitos defensores do baixo carboidrato sugerem para evitar todos os carboidratos completamente. O que, mesmo vegetais e frutas? Sim, mesmo os legumes e frutas. Como sempre, a resposta a esta pergunta tem muitas nuances.
Altos níveis de insulina levam ao ganho de peso e obesidade. Uma vez que os carboidratos refinados tendem a provocar o maior aumento na insulina, eles desempenham um papel chave no ganho de peso. Isso certamente não significa que todos os carboidratos são ruins, no entanto.

quinta-feira, 8 de setembro de 2016

Dependência do tempo da obesidade - Obesidade hormonal XIV

Time Dependence of Obesity – Hormonal Obesity XIV
by Jason Fung

O ganho de peso tem uma clara e óbvia dependência do tempo. As pessoas tendem a ganhar peso lentamente, durante anos ou mesmo décadas. Muitas pessoas começam como um adolescente magro (20 anos), mas gradualmente ganham meio quilo a um quilo por ano. Isso não é tão ruim, mas depois de 40 anos essas pessoas podem ter até 40 quilos de sobrepeso (60 anos).
A perda de peso também é dependente do tempo. Aqueles que têm lutado com seu peso por longos períodos tendem a ter mais problemas do que aqueles com ganho de peso mais recente. Tudo isto tem relação com a resistência à insulina. Aqueles que ganharam peso recente não tiveram tempo suficiente para desenvolver resistência grave à insulina e, portanto, alterações na dieta são bem sucedidas na redução de peso. As raízes dessa dependência do tempo encontra-se na Teoria da Obesidade hormonal.

terça-feira, 6 de setembro de 2016

Os perigos dos lanches - Obesidade hormonal XIII

The Perils of Lancheing – Hormonal Obesity XIII
by Jason Fung

50 anos atrás, havia uma crença quase universal de que fazer lanches era ruim para nós. Sua avó diria “Isso faz você engordar”, ou “Você vai estragar seu jantar”. Naquela época, a obesidade não era um problema tão grande, então talvez eles sabiam o que estavam falando. Mas, então, nós mudamos nossas mentes. 
Nós decidimos agora que lanchar, na verdade, é bom para nós. Que comer mais vezes nos tornará mais magros, por mais ridículo que isso possa soar. Tenho certeza que você já ouviu o conselho para comer pequenas refeições com maior frequência para perder peso. Isso significa que deveríamos comer 3 refeições por dia e também vários lanches no meio.

quinta-feira, 1 de setembro de 2016

A moeda comum

The Common Currency
by Jason Fung

Moeda (dinheiro) é útil porque representa meios de medição e troca mutuamente acordados. Ou seja, se todos nós aceitamos dólares americanos como moeda de troca, então os itens tão díspares quanto um ônibus ou uma cebola podem ser todos medidos nas mesmas unidades. O ônibus é caro e custa mais dólares e a cebola é mais barata e custa menos dólares. Mas tudo é medido em dólares e ambas as partes aceitam dólares como moeda de troca.

Prevenção da resistência - Obesidade hormonal XII

Prevention of Resistance – Hormonal Obesity XII
by Jason Fung

Uma das chaves para altos níveis de insulina reside na resistência à insulina.
A resistência à insulina leva a altos níveis de insulina. Parece também que os níveis elevados de insulina conduzem à resistência à insulina em um ciclo vicioso. Como é que o corpo normalmente se defende contra a resistência à insulina?