Receba as novidades por e-mail:

terça-feira, 2 de agosto de 2016

O cruel embuste das dietas de baixa gordura - Calorias parte IX

The Cruel Hoax of the Low Fat Diet – Calories Part IX
by Jason Fung

Como podemos perder peso? Nós todos pensamos que a redução calórica é a chave, mas até agora, não parece estar funcionando. Aqui está a nossa visão convencional da obesidade...
Vamos agora ver o que acontece no mundo real. Podemos realmente perder peso comendo menos e fazendo mais exercício? Para isso podemos olhar para o gigantesco estudo Women’s Health Initiative.
Low-fat dietary pattern and weight change over 7 years: the Women’s Health Initiative Dietary Modification Trial
Este foi um estudo enorme, caro e ambicioso do National Institute for Health publicado em 2006. Ele também definiu o nível de grandiosidade. Perto de 50.000 mulheres foram recrutadas para este estudo controlado randomizado. Este é o padrão ouro absoluto em medicina experimental, e este estudo é provavelmente um dos estudos mais importantes de sua espécie.
Houve um acompanhamento médio de 7,5 anos. 19.541 mulheres foram randomizadas para a dieta estudo. Estas mulheres tinham uma série de sessões de orientações para reduzir a gordura a 20% das calorias diárias, aumentar legumes e frutas para 5 porções/dia, e grãos para 6 porções/dia.
Foram 18 sessões nos primeiros 12 meses, atividades em grupo, entrevistas individuais com escuta reflexiva, campanhas de mensagens direcionadas e feedback personalizado.
Isto foi consistente com as recomendações nutricionais da época, que envolveu mulheres de 1993 a 1998. Olhando para o gráfico abaixo, parece que o aconselhamento dietético foi muito bem sucedido na mudança de comportamento. A ingestão calórica total foi reduzida de 1788 para 1446 calorias/dia - uma redução de 361,4 calorias/dia ao longo de mais de 7 anos. Grandiosidade total!
Women’s Health Initiative

O percentual de calorias em gordura foi reduzido de 38,8% para 29,8%. Os carboidratos aumentaram de 44,5% para 52,7%, uma vez que grãos integrais foram incentivados. Ressalta-se que o principal objetivo era reduzir a gordura como porcentagem de calorias e não a perda de peso por si só.
O exercício também foi incentivado. Como você pode ver, as mulheres aumentaram sua atividade física diária de 10 METs/semana para 11,4 METs/semana. MET é simplesmente uma medida de atividade física. Em outras palavras, a atividade física aumentou 14% em relação à linha de base ao longo desses 7,5 anos.
Exercício

O grupo de controle, ao contrário, só recebeu uma cópia do Guia Dietético para Americanos (DietaryGuidelines for Americans), mas não tinha outro contato com os nutricionistas do estudo.
O grupo de estudo seguiu com sucesso uma dieta de baixa caloria, baixa em gordura e ao mesmo tempo aumentou o exercício (Coma menos, mova-se mais). O peso médio no início do estudo era de 76,8 kg, com uma média de Índice de Massa Corporal de 29,1. Isso os colocava na categoria de excesso de peso (IMC entre 25 e 29,9), mas na fronteira com a categoria obeso (>30). Então o que aconteceu?
Resultados

O grupo Coma menos, mova-se mais começa bem, com uma perda média de mais de 2 kg durante o primeiro ano. No segundo ano, o peso começa a ser recuperado e, no final do estudo, é evidente que não há nenhuma diferença significativa entre os dois grupos.
A redução de calorias em 361 calorias/dia todos os dias durante 7,5 anos e aumentar o exercício em 14% não resultou em qualquer perda de peso a mais do que não fazer nada.
Você pode pensar que essas mulheres substituíram parte de sua gordura com músculo. Infelizmente, também não houve diferença em sua circunferência da cintura ou na relação cintura-quadril (RCQ).
A perda de peso ao longo de 7,5 anos da estratégia Coma menos, mova-se mais não foi nem mesmo um único quilograma.
O que é ainda pior é que ao longo de 7,5 anos a cintura média aumentou de 89,0 para 90,1 cm e a RCQ média aumentou de 0,82 para 0,83. Isso indica que não só essas mulheres não perderam peso, mas elas eram realmente estavam mais gordas do que antes.
Tratei muitos pacientes que me dizem “Eu não entendo. Eu estou comendo menos. Eu estou me exercitando mais. Mas eu não consigo perder peso algum.” Eu sei. Eu acredito neles. Porque este conselho já provou falhar. Dietas de redução calórica funcionam no mundo real? Absolutamente não.
Este então é Cruel Embuste da dieta de baixa caloria e baixo teor de gordura que todos nós somos orientados a seguir. Isto. Simplesmente. Não. Funciona. Comer menos não resulta em perda de peso. Isso é cruel porque tantos de nós acreditamos nisso. É cruel porque todas as nossas “fontes confiáveis ​​de saúde” nos dizem que é verdade. É cruel porque quando isso falha, nós nos culpamos. Nós temos que jogar esta teoria no lixo, que onde ela pertence.
Deixe-me dizer isso tão claramente quanto eu puder. Comer muito não causa obesidade. Se exercitar pouco não causa obesidade. Portanto, comer menos e se exercitar mais não vai curar a obesidade. Está provado. Aceite isso.
Vamos recapitular o que sabemos até agora.
1. Nossa visão convencional da obesidade decorre da Redução Calórica como Hipótese primária. No entanto, evidência conclusiva mostra que seguir uma dieta de calorias reduzidas e baixa gordura não resultará em qualquer perda de peso. É provável que este modelo esteja completamente errado.
2. O corpo age como um termostato, não como uma balança. Há um certo ponto de ajuste do peso (BSW - Body Set Weight). As tentativas de derrubar o seu peso abaixo do BSW irá resultar na ativação de mecanismos para recuperar esse peso. Isso inclui aumento da fome e redução do Gasto Energético Total (GET).
Então, como podemos perder peso? Nós precisamos de uma nova teoria da obesidade, que explica como nós engordamos. O que causa a obesidade? Qual é a etiologia da obesidade? Precisamos entender as causas da obesidade antes que possamos descobrir um tratamento para ela. O que regula o BSW? Comer demais causar obesidade?
Paciência, vamos chegar lá...



Esse assunto é novo pra você? Comece aqui.


Próximo post

Para ficar por dentro das atualizações,
CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK:
PARTICIPE DO NOSSO GRUPO NO FACEBOOK:
E SE INSCREVA NO NOSSO CANAL NO YOUTUBE:


2 comentários:

  1. Essa série de artigos está fantástica. Ao final vou imprimir e ter sempre a mão para reler e mostrar aos amigos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Depois dessa série continua com a série "Obesidade Hormonal". Muito bom! Os posts do Dr. Jason Fung são quase um resumo do seu livro (Obesity Code). Assim, quem ainda não leu o livro (ou não tem fluência em inglês pra isso), consegue ter uma boa ideia sobre o assunto lendo os posts. E como o livro deve demorar "um pouquinho" a ser publicado em português... vale a pena, né?

      Excluir