Receba as novidades por e-mail:

quarta-feira, 10 de agosto de 2016

Eu posso fazer você engordar... insulina - Obesidade hormonal III

I Can Make You Fat…Insulin – Hormonal Obesity III
by Jason Fung


Na atual epidemia de obesidade, há um ponto de virada claro em 1977. Qual foi a razão?
Talvez o aumento do uso de carros seja a causa subjacente de obesidade. A vida cada vez mais sedentária e a falta de exercícios, então, levaram à obesidade. Iremos abordar o mito de exercício em outra série.

Numa análise mais aprofundada, esta hipótese dos ‘carros’ é como reter água como em um cesto de palha. Olhe para este recente relatório do Grupo de Interesse Público dos EUA sobre o uso de automóveis.
O número de milhas do veículo e os números per capita aumentaram continuamente a partir de 1946 até 2007. Não há ponto de pico ascendente começando em 1977.
Se o aumento de carros é o principal fator condutor de obesidade - como isso explica a súbita mudança em 1977? Não explica. Esta teoria é tão incompleta como um circo sem palhaços. Assustador...
É uma história semelhante para aqueles que consideram que o aumento em restaurantes de fast food é responsável pela obesidade. Enquanto eu não nego que fast food, que é altamente processado ​​e cheio de carboidratos, engorda, não há nenhum ponto ascendente acentuado no número de restaurantes em 1977. Há apenas um aumento gradual ao longo das décadas.
O aumento do uso de carros e de fast food pode contribuir para o aumento lento subjacente na taxa de obesidade, mas o que causou o aumento repentino em 1977? Meu melhor palpite é o odioso Dietary Guidelines for Americans 1977. Em um movimento tão absurdo quanto contratar um vendedor de rua para administrar uma grande corporação, repentinamente nós mudamos de aconselhamento dietético baseado em ‘mães’ para aconselhamento dietético sancionado pelo governo dos EUA.
Este conselho não foi decidido por consenso científico. Não houve consenso médico. Em vez disso, foi decidido, ao longo de vários dias, por um político. E o que era esse conselho? Coma mais carboidratos. Comer menos gordura e gordura saturada. Resultado? A epidemia de obesidade. O que mais podemos esperar quando você recebe conselho de dieta de um político?
Então, o que causa a obesidade? Qual é a etiologia? De acordo com as visões tradicionais como Charles Banting - eram os açúcares e os alimentos ricos em amido que causavam a obesidade. Antes do ponto de vista de “calorias” se tornar popular, havia uma outra escola de pensamento - pensadores predominantemente alemães e europeus. A segunda Guerra Mundial, essencialmente eliminou a maioria dos pensadores europeus e a falha interpretação de “calorias” se tornou ortodoxia nutricional.
A hipótese é de que a obesidade é uma desregulação hormonal da massa gorda. Ou seja, há um sinal hormonal a partir do corpo que controla a massa gorda. Por exemplo, o hormônio estimulante da tireóide (TSH) controla a tireóide. O hormônio do crescimento (GH) controla o crescimento de células. Hormônios sexuais (testosterona e estrogênio) controlam a maturação sexual. Estes são chamados de glândulas endócrinas e as substâncias que os controlam são hormônios. Esta é a Teoria da Obesidade hormonal (HOT - Hormonal Obesity Theory).
Massa gorda também deve estar sob controle hormonal. O principal estímulo para obter células de gordura (obesidade) é provavelmente a insulina. Em menor grau, o cortisol desempenha um papel. Os hormônios são o sinal para o corpo para se tornar obeso. Portanto, sob este sinal, passamos a ter comportamentos que nos levam a nos tornar obesos - ou seja, nós comemos mais ou nos exercitamos menos ou diminuímos o gasto energético total.
Existem várias vantagens para esta teoria. Em primeiro lugar, as células de gordura, como todos os outros sistemas do corpo estão sob controle hormonal. Ou seja, não é simplesmente o nosso cérebro consciente que decide se vamos comer ou não, mas há um controle automático. Isso leva em conta tanto a fome, quanto a taxa metabólica basal.
Também, isto significa que as Calorias que Entram e as Calorias que Saem estão intimamente ligadas umas às outras. Elas vão trabalhar em conjunto para aumentar ou diminuir a obesidade com base nos sinais hormonais. Como vimos na série anterior sobre Calorias, a ingestão calórica e o gasto energético estão firmemente sincronizados.
Se essa teoria for verdadeira, então esta deve ser uma hipótese extremamente fácil de provar ou refutar. Se a insulina causa obesidade (sua etiologia), então podemos simplesmente dar mais insulina e assistir as pessoas se tornarem obesas.
A insulina foi descoberta em 1921 por Banting e Best na Universidade de Toronto. O Diabetes de Tipo 1 é uma doença que resulta da destruição auto-imune das células produtoras de insulina no pâncreas. Isto resulta em níveis extremamente baixos de insulina, e injeções de insulina levaram à cura milagrosa desta doença. Mas ela também teve outros usos. Em 1923, ela estava sendo usada como um agente engordativo para crianças com peso cronicamente baixo.
Então aqui vai a pergunta de um milhão de dólares. Se a insulina provoca obesidade, então, receber insulina deve causar ganho de peso. Se eu der a alguém insulina, isso irá torná-lo gordo? A resposta curta é SIM.
Na verdade, quase qualquer médico que prescreve insulina para pacientes com Diabetes Tipo 1 ou Tipo 2 já sabe que isto é um fato. Os pacientes que tomam insulina também estão mais do que bem cientes disso.
A insulina causa obesidade! Quanto mais insulina você dá, mais obesidade você tem. Isto é simplesmente um fato inegável da vida.
Vamos olhar para um dos primeiros estudos em diabéticos tipo 1.
(Influência do tratamento intensivo do diabetes no peso e composição corporal dos adultos com diabetes tipo 1 no experimento de controle e complicações do diabetes)
Diabéticos Tipo 1 necessitam de insulina para sobreviver. Neste ensaio, foram randomizados 2 grupos de pacientes. Um grupo iria receber uma quantidade mínima de insulina. O outro grupo iria receber doses maiores para manter a glicose sob rígido controle.
A ideia, que foi comprovada, foi que um controla rígido da glicose ajudou a reduzir as complicações do diabetes. No entanto, o que aconteceu com o ganho de peso? Você pode ver no gráfico acima que o grupo com doses maiores de insulina (barras abertas) durante um período de nove anos desenvolveu significativamente mais problemas com maior ganho de peso do que o grupo com doses mais baixas (barras sombreadas).
Uaaauuu! Nos 9 anos de acompanhamento, mais de 30% dos pacientes apresentaram “grande” ganho de peso! Robusto, robusto. Esses pacientes não tinham força de vontade? Eles eram mais preguiçosos? Eles eram mais gulosos? Não, Não e Não. Eles receberam insulina. A insulina os fez engordar.
Na verdade, há uma correlação direta entre a dose de insulina total e a insulina sérica média e o ganho de peso. Existe uma relação de dose-resposta.
Quanto maior a dose de insulina, maior o ganho de peso. Quanto maior o nível de insulina no sangue, maior o ganho de peso.
E quanto aos diabéticos tipo 2? Às vezes, esses pacientes também tomam insulina. Um estudo para resolver este problema foi intitulado:
(Controle intensivo de glicose no sangue com sulfoniluréias ou insulina em comparação com o tratamento convencional e risco de complicações em pacientes com diabetes tipo 2)
No diabetes tipo 2, o aumento da dose de insulina causa obesidade. No início do estudo, o peso é o mesmo em ambos os grupos. Eles são distribuídos aleatoriamente para tratamento contendo mais ou menos insulina. Aqueles com doses mais elevadas de insulina ganharam mais peso.
Tudo isso leva à inevitável conclusão, a partir deste estudo, de que a insulina provoca obesidade. Aqueles que tomaram mais insulina ganharam em média 4,7 quilos extras, em comparação com aqueles que tomaram menos insulina.
Em outras palavras - Eu posso fazer você engordar. Eu posso fazer qualquer pessoa engordar. Eu só preciso dar insulina suficiente para isso.



Esse assunto é novo pra você? Comece aqui.



Para ficar por dentro das atualizações,
CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK:
PARTICIPE DO NOSSO GRUPO NO FACEBOOK:
E SE INSCREVA NO NOSSO CANAL NO YOUTUBE:


Nenhum comentário:

Postar um comentário