segunda-feira, 1 de agosto de 2016

Como fazer dieta nos faz sentir fome - Calorias Parte VIII

How Dieting Makes Us Hungry – Calories Part VIII
by Jason Fung

Nós estamos olhando o Gasto Energético no longo prazo. Quais são algumas das mudanças hormonais que acompanham a perda de peso? Para isso, vamos olhar para este estudo:
Este estudo recrutou 50 pacientes que receberam shakes líquidos (51% de carboidratos). Ao longo das primeiras 10 semanas do experimento, eles receberam apenas 500 calorias por dia. Isso produziu uma perda de peso média de 13,5 kg. Por enquanto, tudo bem.
Em seguida, eles receberam uma dieta de manutenção de peso com base no seu gasto energético medido. Os pacientes também foram acompanhados a cada 2 meses e incentivados a se exercitarem 30 minutos por dia. Eles receberam conselhos para comer carboidratos de baixo índice glicêmico e uma dieta de baixa gordura.
Aqui as coisas não correram tão bem. Apesar de suas melhores intenções, quase metade do peso foi recuperado. Em média, 5,5 kg, foi recuperado da semana 10 a semana 62.
Perda de peso

Uma análise hormonal foi realizada nos participantes nas semanas 0, 10 e 62 após o jejum e uma refeição padronizada. Quais foram os resultados?
Mudança hormonal

O primeiro hormônio a se olhar é a grelina – o chamado hormônio da fome. Este hormônio, basicamente, nos faz sentir fome.
Os pacientes estavam com mais fome durante a fase inicial de perda de peso, mas mesmo depois de 62 semanas, existe um aumento significativo no hormônio grelina. O que isso significa? Isso significa que eles sentiam mais fome. A fome nunca vai embora.
O próximo hormônio a se olhar é o peptídeo YY. Este é um hormônio da saciedade liberado em resposta a proteína e gordura. Essencialmente, o Peptídeo YY nos fazer sentir cheios. Eles também analisaram os hormônios amilina e colecistoquina, mas os resultados são semelhantes, então eu só incluí o gráfico de peptídeo YY.
Mais uma vez, na fase inicial de perda de peso, o peptídeo YY foi reduzido, mas mesmo depois de 62 semanas, o peptídeo YY (bem como amilina e colecistoquina) está significativamente reduzido. O que isso significa? Isso significa que, em resposta a uma refeição padrão, os indivíduos se sentiram menos cheios. Esse sentimento nunca nos deixa.
Estas alterações hormonais acontecem quase que imediatamente e persistem indefinidamente. Os resultados sobre a fome e o desejo de comer podem ser vistos abaixo. Os indivíduos, após a perda de peso, sentiam mais fome e mais vontade de comer.
A fome e a vontade de comer

Nós já sabemos que os pacientes em dieta tendem a sentir mais fome. Acontece que este não é algum tipo de voodoo psicológico. O que nos faz com fome? São os hormônios.
Hormônios da fome (grelina) estavam mais altos e isso causou mais fome. Hormônios da saciedade estavam mais baixos (amilina, peptídeo YY e colecistoquina) e, portanto, os indivíduos se sentiram menos cheios e tinham mais vontade de comer.
Vamos colocar tudo isso junto e pensar sobre isso do ponto de vista do corpo. Lembre-se que o corpo age como um termostato com um certo ajuste de peso corporal (Body Set Weight - BSW).
Suponhamos que o nosso BSW é, por exemplo, 90 quilos. Podemos restringir calorias e, mas manter a proporção de macronutrientes (por exemplo, 50% de carboidratos, 30% de gordura, 20 proteínas). Por um tempo, vamos perder peso – digamos até 80 quilos.
No entanto, porque o BSW ainda é de 90 quilos, o corpo vai tentar o seu melhor para voltar até 90 quilos. Ele vai começar quase imediatamente tentando nos fazer aumentar a nossa ingestão calórica. Ele faz isso por meio do aumento da grelina e suprimindo amilina, peptídeo YY e colecistoquina (hormônios da saciedade). Isso tem o efeito de nos fazer sentir fome e aumentar o nosso desejo de comer.
Ao mesmo tempo, esta diminuição do peso irá levar a uma diminuição no gasto energético total. O corpo vai começar a “desligar” o seu metabolismo. Como vimos com os estudos de fome - a temperatura corporal cai, a frequência cardíaca diminui, a pressão arterial cai e o volume do coração diminui, tudo em um esforço desesperado para conservar energia.

Há também os efeitos psicológicos produzidos, tais como pensamentos obsessivos sobre comida e incapacidade de se concentrar.
O resultado final - recuperação do peso. Isto, naturalmente, é óbvio para qualquer um que já esteve em uma dieta.
Como você pode ver, isso não tem nada, nada, nada, NADA a ver com a falta de força de vontade ou qualquer tipo de fracasso moral. É simplesmente um fato hormonal de vida. Nós sentimos fome, frio, nos sentimos cansados e deprimidos. Estes são todos efeitos físicos reais, mensuráveis, ​​da restrição calórica.
Então aqui está o ponto de partida. Ao focarmos exclusivamente em calorias e restrição calórica (Restrição Calórica como Hipótese Principal), ignoramos o fato de que a perda de peso neste método resultará em o corpo tentar desesperadamente trazer o peso de volta ao original. Ficamos com fome e o corpo desliga o metabolismo para conservar calorias para que possamos recuperar o peso. É uma garantia virtual.
Praticamente todos os estudos de longo prazo sobre dieta (como o enorme Women’s Health Initiative) mostram a recuperação do peso. Na verdade, eu nem sequer preciso convencê-lo deste fato. Você já sabe no fundo do seu coração que é verdade.
Este, então, é o ciclo vicioso de subalimentação. Começamos comendo menos. Perdemos algum peso. Então, o nosso metabolismo fica mais lento e aumenta a fome. Nós começamos a recuperar algum peso. Temos agora que redobrar nossos esforços por comer ainda menos.
Um pouco mais de peso volta, mas nós novamente desaceleramos o gasto energético e aumentamos a fome. O peso começa a ser recuperado. Esse ciclo continua até que se torne intolerável.
Nesse ponto, não podemos mais seguir esta dieta e voltamos ao nosso peso original. Amigos, família, profissionais médicos agora culpam a vítima secretamente pensando que é “culpa nossa” que não conseguimos perder o peso. De alguma forma, nós sentimos que somos um fracasso. Isso acontece com todos nós - até mesmo os médicos. Soa familiar? Sim, foi o que eu pensei.


Esse assunto é novo pra você? Comece aqui.



Para ficar por dentro das atualizações,
CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK:
PARTICIPE DO NOSSO GRUPO NO FACEBOOK:
E SE INSCREVA NO NOSSO CANAL NO YOUTUBE:


Nenhum comentário:

Postar um comentário