sexta-feira, 12 de agosto de 2016

A insulina causa ganho de peso - Obesidade hormonal IV

Insulin Causes Weight Gain – Hormonal Obesity IV
by Jason Fung

Em nosso post anterior, estávamos analisando a ligação entre a insulina e a obesidade. Parece que a insulina não está meramente associada com a obesidade, mas causa a obesidade.
Durante décadas, acreditávamos na tese da Redução Calórica como hipótese Primária (CRaP) da obesidade, que acabou por ser tão útil como uma ponte construída pela metade. Estudo após estudo mostraram que a redução de calorias NÃO levou à perda de peso. Paciente após paciente tentaram perder peso por meio da restrição de calorias com fracasso consistente. Mas não podíamos abandonar o modelo de caloria, assim o mais podíamos fazer? Culpar o paciente, é claro!
Como os pacientes não estavam perdendo peso, havia apenas 2 possibilidades. Ou o conselho para comer uma dieta de baixa gordura com restrição calórica e se exercitar mais estava errado ou o paciente não estava seguindo este conselho.
Assim, médicos e nutricionistas repreenderam, ridicularizaram, menosprezaram, repreenderam, repreenderam e repreenderam. Nós dizíamos - Coma menos, mova-se mais - como se isso fosse curar seus problemas. Afinal, a pirâmide alimentar não poderia estar errada, não é? Mas o excesso de peso ainda era tão persistente como um dente incômodo.
Os médicos, naturalmente, foram atraídos para esta hipótese CRaP da obesidade como banhistas para a beira do mar. Agora, obesidade não era a nossa incapacidade de compreendê-la, mas a sua falta de força de vontade e/ou preguiça (gula ou preguiça). Era o nosso jogo favorito - culpar o paciente.
Mas, evidentemente, o problema foi a hipótese CRaP. Estava simplesmente errada. Aumento de calorias não causa obesidade, assim redução de calorias não causou perda de peso. Exercício não funciona também, como veremos em uma série futura. Então, qual era a etiologia real da obesidade? Insulina.
O que acontece quando damos altas doses de insulina para pacientes? A insulina faz você ganhar peso. Quanto mais insulina que você toma, mais peso você ganha. Quase não importa o quanto você come ou o quanto você tentar se exercitar. O peso apenas continua vindo.
Uma experiência interessante que demonstrou esse princípio exato envolvido tratamento intensivo de pacientes diabéticos.
(Insulinoterapia convencional intensiva para Diabetes Tipo II )
Os pesquisadores pegaram 14 diabéticos e aumentaram a insulina, até a glicose estar quase normal. No início, eles estavam usando apenas pílulas. Ao longo de 6 meses, a insulina foi aumentada até que eles estivessem tomando uma média de 100 unidades [de insulina] por dia.


O peso corporal aumentou em 8,7 kg. No entanto, se estivéssemos olhando para a ingestão calórica diária, podemos ver que o paciente médio diminuiu quase 300 calorias/dia! Em outras palavras, apesar de comer menos, os pacientes foram ganhando peso loucamente. Isso significa que não eram as calorias que estavam gerando o ganho de peso. Era a insulina!
Pense nisso desta maneira. A insulina é o sinal hormonal para o corpo aumentar o peso - o ajuste de peso do corpo (BSW - Body Set Weight). Se a insulina é aumentada, aumentamos nosso BSW. Para alcançar este novo peso maior, vamos precisar comer mais ou diminuir o Gasto Energético Total (GET). Assim, a insulina nos faz engordar. A fim de engordar, vamos comer mais ou reduzir o GET. O comportamento de comer mais é uma resposta ao sinal hormonal para engordar.
Neste estudo, a dose de insulina foi massivamente aumentada. Sob este sinal hormonal, o corpo tenta ganhar peso (aumentar o BSW). Conforme o peso aumenta, os pacientes tentam restringir as calorias. Uma vez que eles não estavam comendo mais, o seu corpo é forçado a ‘desligar’, a fim de conservar a energia para aumentar o peso. O GET é reduzido. Nós nos sentimos cansados, com frio e com fome. E o peso ainda continua a subir. Parece com a maioria das dietas convencionais de baixo teor de gordura de baixa caloria. Dieta, exercício, sente-se mal e ainda assim não consegue perder peso.


Há, de fato, uma correlação direta entre a dosagem total [de insulina] e o ganho de peso. Quanto mais insulina dada, mais ganho de peso. Quanto maior os níveis de insulina, maior o ganho de peso. A insulina causa obesidade.
Um estudo mais recente (N Engl J Med 2007; 357: 1716-1730 Holman RR) mostrou este mesmo exato efeito.
Addition of Biphasic, Prandial, or Basal Insulin to Oral Therapy in Type 2 Diabetes
(A adição de Insulina bifásico, prandial ou basal à terapia oral no Diabetes Tipo 2)
Neste estudo, 708 diabéticos em uso de medicamentos orais tiveram insulina adicionada ao seu tratamento. O que aconteceu com o peso? Ele subiu. Isso é não é realmente surpresa alguma - cada clínico já sabe que a insulina faz você ganhar peso.


Aqueles que receberam as doses mais altas ganharam mais peso. Aqueles que receberam menos, ganharam menos peso.
A insulina pode não só causar obesidade generalizada, mas também pode causar o crescimento localizado de gordura. Aqueles que injetam regularmente insulina podem ocasionalmente experimentar lipohipertrofia. Isto apenas para reforçar a noção de que a insulina é o sinal para o ganho de gordura.
Há quem possa argumentar que é simplesmente o tratamento da diabetes que causa ganho de peso. Como podemos reduzir o açúcar no sangue, que o açúcar é retirado do sangue e no corpo em forma de gordura.
Se isso é verdade, então qualquer tratamento de diabetes deve causar ganho de peso igual.
Podemos comparar o tratamento do Diabetes Tipo 2 com diferentes agentes. Felizmente para nós, esses estudos já foram feitos. Estefoi o grande UKPDS (UK ProspectiveDiabetes Study).
Deixe-me explicar aqui. Existem várias pílulas para a diabetes (hipoglicemiantes orais).
Sulfonilureias (SU) são uma classe de medicamentos que estimulam o pâncreas a produzir mais insulina. Se a insulina provoca obesidade, como a teoria da obesidade hormonal sustenta, então esta classe de drogas deve realmente aumentar o peso.
A metformina é outra classe de medicamentos. Esta é uma história totalmente diferente. Considera-se ser um sensibilizador de insulina. Isto é, ela ajuda a insulina a trabalhar no corpo de forma mais eficiente. Ela não aumenta os níveis séricos de insulina.
Isso é ótimo. Agora podemos comparar os diferentes efeitos dos 3 tipos de drogas - insulina, SU, e metformina. Todos eles têm o efeito de reduzir a glicose no sangue, mas o efeito sobre os níveis de insulina no corpo são completamente diferentes. A insulina irá elevar os níveis sanguíneos mais, SU irá elevar os níveis, mas não tanto quanto a insulina, e a metformina não aumenta em nada.


Quais são os efeitos sobre o peso?
Como esperávamos, o grupo da insulina aumentou o peso em sua maioria.
A clorpropamida e gliburida (sulfonilureias) aumentaram de peso também, mas não tanto quanto a insulina.
O grupo da metformina teve resultado neutro em relação ao peso. Este grupo não ganhou mais peso do que aqueles apenas em dieta.


Então insulina e gliburida (que aumenta os níveis de insulina), ambas aumentam o peso. Metformina, que trata a glicose no sangue, mas não aumenta os níveis de insulina, NÃO aumenta de peso.
Desde a publicação do UKPDS tem sido introduzida uma nova classe de medicamentos para tratar a diabetes. Estas são a classe de medicamentos DPP4.
O mecanismo de ação dessas drogas é aumentar os níveis de insulina em resposta a uma refeição. Não provoca uma elevação persistente dos níveis de insulina. Como seria de esperar, os DPP4 são neutros em relação a peso.
Neste estudo, a glipizida (uma sulfonilureia que aumenta os níveis de insulina), causa ganho de peso. Januvia, que não eleva persistentemente os níveis de insulina, não. Isto apesar do fato de que a glicose é tratada no mesmo nível.
Os resultados são muito consistentes. Aumento dos níveis de insulina provoca ganho de peso. Redução dos níveis de insulina provoca perda de peso. Cada vez mais, estamos reconhecendo a importância desses fatores hormonais na obesidade. Recentemente, um outro estudo intitulado “Insulin resistance and inflammation predict kinetic bodyweight changes” (Resistência à insulina e inflamação predizem alterações cinéticas do peso corporal) mostrou que o mais forte preditor de recuperação do peso é a resistência à insulina. Não a força de vontade. Não a ingestão calórica. Não o apoio entre colegas . Insulina. Insulina. Insulina. É tudo sobre a insulina.
Sob a influência de insulina, o nosso corpo recebe instruções para “ganhar gordura”. Em resposta, nós comemos mais e/ou diminuímos o gasto energético. Não é um ato voluntário. Lembre-se disso:
A questão NÃO é como equilibrar as calorias, a questão é como equilibrar nossos hormônios. Na maioria dos casos, a questão crucial não é como reduzir calorias, mas como reduzir a insulina.



Esse assunto é novo pra você? Comece aqui.



Para ficar por dentro das atualizações,
CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK:
PARTICIPE DO NOSSO GRUPO NO FACEBOOK:
E SE INSCREVA NO NOSSO CANAL NO YOUTUBE:




Nenhum comentário:

Postar um comentário