Receba as novidades por e-mail:

segunda-feira, 4 de julho de 2016

Resistência à insulina e hipertensão arterial


How Fat Lowers Your Blood Pressure (Como a gordura reduz a pressão arterial)

by Adam Nally


A hipertensão (pressão sanguínea elevada) é um dos sintomas da tríade da síndrome metabólica.  A maior parte da hipertensão que eu vejo clinicamente é impulsionada pela resistência à insulina como causa subjacente.  Eu vejo esse problema na grande maioria das pessoas no meu consultório e eu estou vendo as pessoas cada vez mais jovens aparecerem com a pressão arterial aumentando continuamente.

 


Na escola de medicina, fomos ensinados a tratar “pressão arterial um pouco elevada” ou “limítrofe” por meio de “mudanças de estilo de vida”, que era outra maneira de dizer exercício, restrição calórica e diminuição do sal.  Mas a maioria dos médicos hoje irá dizer-lhe que o exercício, sal e restrição calórica não funciona.  Ao perguntar por que um homem de 34 anos em meu consultório, repentinamente apresenta pressão arterial elevada, a única explicação que tínhamos era que é um “problema genético”, ou “que pressão arterial naturalmente sobe à medida que envelhecemos”, ou “você está comendo muito sal”, e eles são iniciados em medicação de pressão arterial e mandados pra casa.  Mas, conforme o tempo foi passando, eu descobri que eu tinha que continuar a acrescentar mais e mais medicação para hipertensão para controlar a pressão arterial continuamente crescente de pacientes em minha prática.

A maioria dessas pessoas terá uma elevação progressiva da pressão arterial ao longo do tempo, e esses medicamentos para pressão arterial (anti-hipertensivo) são/eram continuamente aumentados até que a pessoa esteja em quatro ou cinco comprimidos diferentes de pressão arterial em doses máximas.  Mais uma vez, quando questionado por que, sua genética é culpada e isso é o fim de tudo.  Ou é?!

 

O que me chocou foi que quando eu tirei os pacientes da restrição calórica e de sal, e os coloquei em dietas ricas em gordura de baixo carboidrato (e sim, eu dei-lhes de volta o seu sal), a sua pressão arterial normalizou.  Notei que, como seus níveis de insulina em jejum começaram a cair, a sua pressão arterial começou a voltar ao normal.


 O quê?!  Aumento da pressão sanguínea é provocada pela insulina ?!


 Ummm...  Sim!


Eu sou um excelente exemplo.  Durante os primeiros anos de prática médica e de serviço militar de reserva, tivemos exames de saúde de rotina.  Eu estava me exercitando 3-5 dias por semana com pesos e correndo 3-5 milhas 2-3 vezes por semana e restringindo minhas calorias para 1500 por dia.  Então, eu pensei que estava em muito boa forma.  No entanto, não era incomum a enfermeira levantar as sobrancelhas para as minhas leituras de pressão sanguínea na faixa de 140-160 sistólica e 85-98 diastólica.  “Oh, é a falta de sono na noite passada”, ou “é a cafeína que ingeri esta manhã”, seria a minha desculpa.  Mas eu estava dando um monte de desculpas, e em função dessas desculpas, da restrição calórica, do exercício e da restrição de sal, eu ainda estava também ganhando peso.

No quinto ano da minha prática médica, eu pesava 60 libras a mais pesado do que hoje e eu lutei para manter minha pressão arterial abaixo de 150/95.  Eu estava violando o meu próprio conselho... não confie em um médico gordo para aconselhamento nutricional.  (Ou, era um conselho do Dr.House?)

 

Depois de cortar os carboidratos (eu mantive a minha ingestão de carboidratos <20 gramas por dia), moderando a minha ingestão de proteínas e comendo toda a gordura que eu tinha vontade a cada dia, meu exame físico recente, no início de junho de 2016 revelou a minha pressão arterial em 112/64.  Não nem me lembro de ter tido pressão arterial tão baixa.  E para ser honesto, eu não dormi bem na noite anterior ao meu exame devido a um número de chamadas de pacientes no meio da noite.

 

Quando eu comecei a tratar o problema da resistência à insulina no ser humano, e não o problema da pressão arterial, comecei a ver reduções imediatas na pressão arterial dentro de uma a duas semanas. Uma redução tão grande que se eu não avisasse os pacientes que eles deveriam a reduzir seus medicamentos para pressão arterial, eles iriam experimentar sintomas de vertigem, tonturas, dor de cabeça e alguns poucos pacientes poderiam quase desmaiar.  Em uma dieta de baixo teor de carboidratos, alto teor de gordura (cetogênica) você precisa de sal (sódio, potássio, e de magnésio).

O processo de queima de gordura como combustível faz com que você perca grandes quantidades de sódio e de potássio, e você tem que repor esses eletrólitos.  Um número de pacientes meus começa uma dieta de baixo teor de carboidratos, rica em gordura e têm medo de aumentar a sua ingestão de sal.  Não repor estes eletrólitos, enquanto está em uma dieta cetogênica, também pode levar à diminuição da pressão arterial, desidratação e tonturas.

Muitas vezes me perguntei por que a aplicação de uma dieta cetogênica tinha um efeito tão profundo sobre a pressão arterial tão rapidamente.  Dr. Robert Lustig ajudou a responder a essa pergunta para mim.

A fim de compreender como a dieta americana padrão (que chamamos de dieta SAD – “triste” – no meu consultório) aumenta a sua pressão arterial, é importante entender como o corpo processa a molécula básica de açúcar.  O açúcar é uma molécula de glicose ligada a uma molécula de frutose.  Ela é quebrada no corpo e 20% da glicose é metabolizada no fígado, os outros 80% é enviada para ser usado como combustível em todo o corpo.  Frutose, no entanto, é onde os problemas começam. 100% da frutose é metabolizada no fígado, e o subproduto do metabolismo da frutose é o aumento da produção do fígado de MAIS glicose e o subproduto de ácido úrico.  Ácido úrico é produzido e esta inibe a produção de óxido nítrico.  A diminuição do óxido nítrico na presença de um aumento do nível de glicose (estimulando o aumento da produção de insulina devido a amidos alimentares) contrai os vasos sanguíneos e aumenta a pressão sanguínea.

Sim, aquele donut que você acabou de comer apenas aumentou sua pressão arterial pelas próximas 12 horas.

O mecanismo pelo qual a frutose, contendo carboidratos, açúcares e amidos, aumenta a pressão sanguínea, o colesterol e causa ganho de peso pode ser visto no diagrama realmente complexo encontrados no artigo do Dr. Lustig, de 2010:

Metabolismo de frutose

Então, como você baixa sua pressão arterial por meio de dieta?

Em primeiro lugar, corte todos os açúcares simples.  Isso inclui qualquer coisa com açúcar de mesa e xarope de milho.  (É por isso que as pessoas com qualquer mudança na dieta vêm alguma melhoria no peso e na pressão arterial quando removem os açúcares simples, como doces, bebidas açucaradas e sobremesas de sua dieta.)

Em segundo lugar, limite sua ingestão total de outras fontes de carboidratos, incluindo qualquer tipo de pão, arroz, massas, tortilha, batata, milho e cenouras.  Perceba que o carboidrato na fruta é a frutose, e quando ingerido com outras formas de glicose pode ter o mesmo efeito que o açúcar de mesa - ele pode e vai elevar a pressão arterial, bem como suspender a perda de pesa ou causar ganho de peso.

Em terceiro lugar, se você estiver tomando medicamentos para pressão arterial, consulte o seu médico sobre um acompanhamento bem próximo da sua pressão arterial, pois ela pode e vai cair dentro de 2-4 semanas após fazer essas mudanças na dieta.

Manter cetose é realmente importante para a perda de peso e controle da pressão arterial.  Eu sou um defensor do uso de comida de verdade para este processo, mas eu também descobri que o uso de sais de cetonas exógenos ajudam significativamente na manutenção da cetose.  Eu descobri que cetonas exógenas são o próximo passo para colmatar a dificuldade do dia a dia para manutenção da cetose.

Não é o não cometer erros que é fundamental; é corrigi-los e continuar na tarefa que é importante. Se você vem fazendo restrição de calorias e se exercitando para reduzir a pressão arterial, não se preocupe.  Uma simples mudança em sua dieta focada em restringir amidos e carboidratos tem se demonstrado, em meu consultório, ser mais poderoso do que muitos dos medicamentos para pressão arterial que usamos durante anos.


(Traduzido de https://docmuscles.com/2016/07/04/how-fat-lowers-your-blood-pressure/)



Esse assunto é novo pra você? Comece aqui.


Para ficar por dentro das atualizações,
CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK:
PARTICIPE DO NOSSO GRUPO NO FACEBOOK:
E SE INSCREVA NO NOSSO CANAL NO YOUTUBE:


7 comentários:

  1. Ótimo artigo. Obrigado pela tradução.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De nada!
      Também gostei muito do artigo. Eu tomei medicamentos pra hipertensão por mais de 8 anos e o que ele fala no artigo foi bem o que aconteceu comigo também

      Excluir
  2. Excelente artigo! Obrigado, também, pela tradução.

    ResponderExcluir
  3. boa noite, Lissandra.

    Obrigada pela tradução, aumenta o alcance da mensagem e torna mais confortável a absorção de novos conhecimentos. Permitiria uma sugestão de ajuste? No último parágrafo, no qual ele fala sobre não cometer erros, "It isn’t making the mistakes that’s critical; it’s correcting them and getting on with the task that’s important", não ficaria melhor se fosse traduzido como "Não é o não cometer erros que é fundamental, e sim corrigi-los e continuar a tarefa que é importante"?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza, Júci! Vou corrigir lá. Obrigada!

      Excluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir