quinta-feira, 7 de julho de 2016

Como reverter diabetes tipo 2 - O Guia de Início Rápido


How to Reverse Type 2 Diabetes, The Quick Start Guide

by Jason Fung

Como reverter diabetes tipo 2 - O Guia de Início Rápido

Vinte anos atrás, quando você comprava um novo e brilhante aparelho de videocassete (VCR), você também recebia um espesso manual de instruções. Leia isso cuidadosamente antes de começar, o fabricante implorava. Havia procedimentos de configuração e guias de solução de problemas detalhados.

A maioria de nós ignorava o manual, apenas ligava o aparelho e tentava descobrir o resto. É por isso que todos nós tínhamos um 00:00 a piscar no aparelho. Hoje, a maioria dos novos eletrônicos já vêm com um guia de início rápido, que tem os 4 ou 5 passos mais básicos para colocar seu equipamento em funcionamento e, em seguida, qualquer outra coisa que você precise, você pode pesquisar no manual de instruções detalhado. Manuais de instruções são simplesmente muito mais úteis desta maneira.

Bem, eu não sei muito sobre videocassetes, mas eu sei sobre o diabetes tipo 2. Eu posso escrever um livro inteiro sobre a obesidade (oh, espere, eu já fiz isso), ou jejum (oh, espere, está saindo) ou diabetes tipo 2 (vindo por aí em 2018). Mas muitos de vocês não vão querer ler o manual de instruções inteiro. Então este é o guia de início rápido para reverter o seu diabetes tipo 2.

Uma doença totalmente reversível

A maioria dos médicos, nutricionistas e especialistas em diabetes afirmam que o diabetes tipo 2 é uma doença crônica e progressiva. A American Diabetes Association, por exemplo, quase orgulhosamente, proclama isso em seu site. Depois de dado o diagnóstico, é uma sentença de prisão perpétua. Mas isso é realmente uma grande mentira. A diabetes tipo 2 é quase sempre reversível e isso é quase ridiculamente fácil de provar. Esta é uma grande notícia para os mais de 50% dos adultos norte-americanos que foram diagnosticadas com pré-diabetes ou diabetes. Reconhecendo essa verdade é o primeiro passo crucial para reverter sua diabetes ou pré-diabetes. Na verdade, é algo que a maioria das pessoas instintivamente já reconhece como sendo verdade.

Suponha que seu amigo é diagnosticado como diabético, e aí trabalha duro para perder 50 libras. Ele suspende todos os seus medicamentos e seu açúcar no sangue agora é normal. O que você diria a ele? Provavelmente algo como “Bom trabalho. Você está realmente cuidando de si mesmo. Continue!” O que você não diria que é algo como “Você é tão mentiroso sujo, imundo. Meu médico diz que esta é uma doença crônica e progressiva por isso você deve estar mentindo para mim”. Parece perfeitamente óbvio que o diabetes foi revertido, porque o seu amigo perdeu todo aquele peso. E esse é o ponto. A doença é reversível.

Nós sabemos tudo isso. Mas só dieta e mudanças de estilo de vida irão reverter isso. NÃO medicamentos. A coisa mais importante, é claro, é perder peso. Mas os medicamentos para diabetes não fazem isso. Muito pelo contrário. Insulina, por exemplo, é conhecida por causar ganho de peso. Os pacientes sentem intuitivamente que eles estão indo pelo o caminho errado.

Eles sempre me dizem: “Doutor. Você sempre disse que a perda de peso é a chave para reverter diabetes. No entanto, você me receitou um medicamento que me fez ganhar 25 libras. Como isso é bom?” Eu nunca tinha uma boa resposta, porque não existia. Não era bom. A chave era a perda de peso, após a qual o diabetes muitas vezes vai embora, ou pelo menos fica significativamente melhor. Então, logicamente, a insulina não ajuda a reverter a doença, mas na verdade a agrava.

Outros medicamentos como metformina ou a classe de drogas DPP4 são neutras. Enquanto isso não vai piorar as coisas, também não vai fazer as coisas melhor. Uma vez que a perda de peso é a chave para reverter o diabetes tipo 2, a medicação não vai fazer as coisas melhores. Medicamentos melhoram o nível de açúcar no sangue, mas não o diabetes. Nós podemos fingir que a doença está melhor, mas isso não significa que seja verdade. Essa é a razão pela qual a maioria dos médicos acha que diabetes tipo 2 é uma doença crônica e progressiva. Temos utilizado o tratamento errado. Temos prescrito medicamentos para uma doença alimentar. Não admira que não funcione.

Então, como você pode reverter o diabetes?

O açucareiro

A característica essencial do diabetes tipo 2 e pré-diabetes é que nossos corpos estão completamente cheios de açúcar. Não é apenas muito açúcar no sangue. Isso é apenas parte do problema. Há muito açúcar em todo o nosso corpo. Imagine que nossos corpos são um açucareiro. Uma tigela de açúcar. Quando somos jovens, nosso açucareiro está vazio. Ao longo de décadas, nós comemos demais das coisas erradas - cereais açucarados, sobremesas e pão branco. A tigela de açúcar gradualmente se enche com o açúcar até que esteja completamente cheia. A próxima vez que você come, o açúcar entra no corpo, mas o recipiente está cheio, por isso transborda para o sangue.

A insulina é um hormônio normal produzido quando comemos e seu trabalho é permitir que a glicose entre nas células. Quando já não é capaz de fazer isso, a glicose se empilha do lado de fora da célula, e isso é chamado de resistência à insulina.

Mas por que isso acontece? As células já estão sobrecarregadas com glicose (ver post anterior – A New Paradigm, e Insulin Resistance is Good? – traduzido aqui O novo paradigma da resistência à insulina). Como tentar soprar ar em um balão-super inflado, simplesmente precisa mais força. A célula resiste à glicose, porque está completamente cheia. Resistência à insulina é um fenômeno de transbordamento.

É como arrumar suas roupas em uma mala. No início, as roupas entram sem nenhum problema. Depois de um certo ponto, porém, é simplesmente impossível colocar dentro essas últimas duas camisetas. Você não consegue fechar a mala. A bagagem é agora ‘resistente’ às roupas. É muuuuiiiito mais difícil de colocar essas duas últimas camisetas do que as duas primeiras. É o mesmo fenômeno de transbordamento. A célula está explodindo de glicose, assim tentar forçar mais a entrar é difícil e requer doses muito mais elevadas de insulina.

Quando os níveis de insulina são incapazes de manter o aumento da resistência, o nível de açúcar no sangue sobe e seu médico o diagnostica com diabetes tipo 2 e inicia o uso de medicamentos, tais como metformina. Mas metformina não se livra do açúcar. Em vez disso, ela simplesmente leva o açúcar do sangue e força-o de volta para o fígado. O fígado também não o quer, de modo que o descarrega em todos os outros órgãos - os rins, os nervos, os olhos, o coração. Grande parte deste açúcar extra vai também ser transformado em gordura.

O problema, é claro, não foi resolvido - o açucareiro ainda está transbordando. Você só levou o açúcar do sangue (onde você pode vê-lo) para o corpo (onde você não poderia vê-lo). Portanto, na próxima vez que você come, a mesma coisa acontece. O açúcar vem, transborda para o sangue e você toma metformina para amontoar o açúcar de volta no corpo. Isso funciona por um tempo, mas eventualmente o corpo fica cheio de açúcar também. Agora, essa mesma dose de metformina não pode mais forçar o açúcar no corpo.

Então você vai ao seu médico. O que ele faz? Em vez de se livrar da carga de açúcar tóxico, ele duplica a dose da medicação. Se a mala não fecha, a solução é esvaziá-la, não usar mais força. A dose mais elevada de medicamento ajuda, por um tempo. O açúcar no sangue diminui uma vez que você força seu corpo a engolir ainda mais açúcar. Mas, eventualmente, esta dose também falha. Assim o seu médico lhe dá uma segunda medicação, em seguida, uma terceira e, eventualmente, injeções de insulina.

Após alguns anos, você passa de pré-diabetes, a diabetes, a tomar um medicamento, em seguida dois, depois três e, finalmente, grandes doses de insulina. Aqui está a coisa. Se você está tomando mais e mais medicamentos para manter seu açúcar no sangue no mesmo nível, o diabetes está piorando! Mesmo se seu nível de açúcar no sangue estiver melhor, o seu diabetes está piorando. Isto é, infelizmente, o que acontece com praticamente todos os pacientes. O corpo já está transbordando de açúcar. Os medicamentos só escondem o açúcar no sangue, enfiando-o no corpo congestionado.

 

O diabetes parece melhor, já que você só pode ver o açúcar no sangue. Os médicos podem se parabenizar em uma ilusão de um trabalho bem feito, mesmo que o paciente fique continuamente mais doente. Os pacientes exigem doses de medicamentos cada vez maiores e ainda sofrem com ataques cardíacos, insuficiência cardíaca congestiva, acidente vascular cerebral, insuficiência renal, amputações e cegueira. “Oh, bem” o médico diz a si mesmo, “É uma doença crônica, progressiva”.

Imagine que você empurra o seu lixo da cozinha para debaixo do tapete, em vez de jogá-lo fora no lixo. Você não pode vê-lo, então você pode fingir que sua casa está limpa. Quando não há mais espaço debaixo do tapete, você joga o lixo em seu quarto e no banheiro também. Em qualquer lugar onde você não tem que ver isso. Eventualmente, ele começa a cheirar. Muito, muito mal. Você precisa jogar fora o lixo, não escondê-lo. Se entendemos que o excesso de açúcar no sangue é tóxico, por que não podemos compreender que o excesso de açúcar no corpo é tóxico também?

O Jogo Final

O que acontece ao longo do tempo - 10, 20 anos?

Cada parte do corpo simplesmente começa a apodrecer. É precisamente por isso que o diabetes tipo 2, ao contrário de praticamente qualquer outra doença, afeta cada parte do nosso corpo. Cada órgão sofre os efeitos a longo prazo da carga excessiva de açúcar. Seus olhos apodrecem - e você fica cego. Seus rins apodrecem - e você precisa de diálise. Seu coração apodrece - e você começa a ter ataques cardíacos e insuficiência cardíaca. Seu cérebro apodrece - e você tem a doença de Alzheimer. Seu fígado apodrece - e você começa a ter esteatose hepática (fígado gorduroso). Suas pernas apodrecem - e você começa a ter úlceras do pé diabético. Seus nervos apodrecem - e você começa a ter neuropatia diabética. Nenhuma parte do seu corpo é poupado.

Medicamentos e insulina não fazem nada para freiar a progressão da lesão do órgão, porque eles não eliminam a carga tóxica de açúcar do nosso corpo. Nós sabemos desse fato inconveniente desde 2008. Nada menos do que 7 ensaios clínicos randomizados multinacionais, multi-centros, de controle da glicemia com medicamentos (ACCORD, ADVANCE, VADT, ORIGIN, TECOS, ELIXA, SAVOR) falharam em demonstrar reduções em doenças cardíacas, a principal causa de morte de pacientes diabéticos. Fingimos que o uso de medicamentos para baixar o açúcar no sangue faz com que as pessoas fiquem mais saudáveis. Mas isso tem sido apenas uma mentira. Você não pode usar drogas para curar uma doença alimentar.

Como reverter o Diabetes

Uma vez que entendemos o diabetes tipo 2, então a solução torna-se muito óbvia demais. Se temos muito açúcar no corpo, então vamos nos livrar dele. Não simplesmente escondê-lo pois assim não podemos vê-lo. Há realmente apenas duas maneiras de se livrar do excesso de açúcar no corpo.

1.      Não acrescente açúcar.

2.      Queime-o.

É isso. Isso é tudo o que precisamos fazer. A melhor parte? É tudo natural e totalmente gratuito. Sem drogas. Sem cirurgia. Sem nenhum custo.

Passo 1 - Não acrescente açúcar

O primeiro passo é eliminar todo o açúcar e amidos refinados de sua dieta. O açúcar não tem nenhum valor nutricional e pode, portanto, ser eliminado. Amidos são simplesmente longas cadeias de açúcares. Amidos altamente refinados, como farinha ou arroz branco são rapidamente quebrados pela digestão e transformados em glicose. Esta é rapidamente absorvida no sangue e aumenta o nível de açúcar no sangue. Por exemplo, comer pão branco aumenta o açúcar no sangue muito rapidamente. Não parece evidente que devemos evitar alimentos que aumentam o açúcar no sangue, porque eles acabarão por ser absorvidos pelo corpo? A melhor estratégia é comer pouco ou nenhum carboidrato refinado.
O excesso de proteína também é convertido em glicose pelo organismo. Portanto, você deve evitar comer muita proteína pois isso também só irá adicionar açúcar no corpo. Shakes de proteína, barras de proteína e proteína em pó devem todos ser evitados. Em vez disso, se concentre em comer muitos vegetais e gorduras naturais saudáveis.

A gordura da dieta, há muito evitada por seu suposto efeito causador de doença cardíaca, está de volta. Gorduras naturais, tais como as encontradas no abacate, nozes e azeite são bem conhecidos por terem efeitos saudáveis ​​tanto em doenças do coração, quanto em diabetes. A dieta mediterrânea, rica emgorduras naturais, é bem aceita como sendo uma dieta saudável. Também tem sido mostrado que o colesterol da dieta não tem qualquer efeito prejudicial para o corpo humano. Ovos e manteiga estão de volta.

Mais importante ainda, consuma alimentos integrais, naturais e não processados.

Passo 2 – Queime o açúcar

Jejum é o método mais simples e mais rápido para forçar seu corpo a queimar o açúcar para energia. A glicose no sangue é a fonte mais facilmente acessível de energia para o corpo. O jejum é simplesmente o oposto de comer - se você não está comendo, você está jejuando. Quando você come, seu corpo armazena a energia do alimento. Quando você rápido, seu corpo queima energia do alimento. Se você simplesmente alongar os seus períodos de jejum, você pode queimar o açúcar armazenado.

Uma vez que o diabetes tipo 2 é meramente glicose excessiva no corpo, queimá-la irá reverter a doença. Embora possa parecer severo, o jejum tem sido praticado há pelo menos 2000 anos. É a mais antiga terapia dietética conhecida. Literalmente milhões de pessoas ao longo da história humana tem jejuado sem problemas. Se você está tomando medicamentos sob prescrição, você deve procurar o aconselhamento de um médico. Mas o ponto de partida leva a isso.

Se você não comer, seu nível de açúcar no sangue vai diminuir? Claro.

Se você não comer, você vai perder peso? Claro.

Então qual é o problema? Nenhum que eu possa ver.

Podemos reverter o diabetes tipo 2 e pré-diabetes hoje, agora, imediatamente. Tudo sem custo, sem drogas, sem cirurgia, com um método totalmente natural, método de cura testado no tempo. Nós só precisamos conduzir nossos corpos para o caminho de cura e ter a coragem de aplicar nosso conhecimento duramente conquistado.


(Traduzido de https://intensivedietarymanagement.com/reverse-type-2-diabetes-the-quick-start-guide/)




Esse assunto é novo pra você? Comece aqui.
  

Para ficar por dentro das atualizações,
CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK:
PARTICIPE DO NOSSO GRUPO NO FACEBOOK:
E SE INSCREVA NO NOSSO CANAL NO YOUTUBE:


8 comentários:

  1. Respostas
    1. Didática do nosso mestre Dr. Jason Fung. Adoro ele!

      Excluir
  2. Adorei essa explicação, os endocrinologistas não explicam isso.

    ResponderExcluir
  3. Excelente explicação!
    Minha mãe tem diabetes tipo 2 e toma a seguinte medicação:
    - Metformina 850 mg 2 X ao dia;
    - Glimperida 4 mg 1 X ao dia e
    - Galvus 50 mg 1 X ao dia.

    Será que ela poderia fazer o Jejum Intermitente?
    Como seria esse acompanhamento médico?
    Me preocupo com muito ela.

    Se você puder me ajudar serei eternamente grata.

    Jimena

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No caso de pessoas que tomam medicação, é preciso conversar com o médico, pois fazendo jejum intermitente talvez a pessoa precise fazer ajustes na medicação.
      Mas sua mãe já fez o passo 1 (parar de acrescentar açúcar? ou seja: carboidratos que se transformam em açúcar no sangue?). Penso que ajustar a alimentação primeiro é mais importante. O jejum intermitente é uma técnica AUXILIAR.

      Excluir
    2. Muito difícil tirar o açúcar de um diabético...
      Quando estou em casa com ela faço marcação cerrada, mas quando vou trabalhar, acredito que ela coma tudo o que tem vontade.
      Como seria esse ajuste? Diminuir a medicação?
      Grata mais uma vez.

      Excluir
    3. A medicação é prescrita pelo médico de acordo com os níveis de glicose no sangue. Portanto, se ela mexer na alimentação (seja NO QUE ela come, seja NO QUANDO ela come) isso pode afetar os níveis de glicose no sangue. Por isso que é sempre bom o médico acompanhar para fazer o ajuste da dose SE NECESSÁRIO.

      Os diabéticos que fazem uma alimentação de baixo carboidrato (e/ou jejum) normalmente têm uma necessidade menor de medicamento. Mas isso só o médico pode avaliar.

      Agora, se você não consegue controlar O QUE ela come, você provavelmente não vai conseguir controlar QUANDO ela come. Ou seja: como ela vai fazer jejum intermitente?

      Uma pessoa que começa pães, massas, doces, normalmente tem muita dificuldade de fazer jejum. Porque sente fome.
      Por isso é melhor fazer o jejum depois que a alimentação estiver adequada (com baixo carboidrato, sem açúcares).

      Excluir
    4. Muito obrigada por toda atenção!
      Você é maravilhosa.

      Excluir