Receba as novidades por e-mail:

terça-feira, 19 de julho de 2016

Glicose em jejum – O que é normal?


No post anterior falamos sobre o Teste de Kraft para diagnóstico de Diabetes. Conforme abordado no texto, é o único teste que diagnostica adequadamente a doença de “hiperinsulinemia” do diabetes. Kraft testou 14.384 pessoas dessa forma ao longo de 30 anos.

Nesse post continuaremos falando desse estudo de Kraft para tentar responder à pergunta: qual é o nível de glicose em jejum “normal”?

Os trechos citados a seguir foram extraídos do livro Diabetes Epidemic & You, do dr. Joseph R. Kraft (https://www.amazon.com.br/Diabetes-Epidemic-English-Joseph-Kraft-ebook/dp/B0062EYR7U/ref=sr_1_1?ie=UTF8&qid=1466016574&sr=8-1&keywords=Diabetes+Epidemic).


Glicose [açúcar no sangue] elevada em jejum é diabetes. Pré-diabetes é um termo utilizado quando a glicose no sangue em jejum está acima do “normal” e menos do que a glicose elevada em jejum do diabetes. Diabetes tem seu começo cedo na vida.

(...)

Os valores de glicose em jejum normais que os médicos têm utilizado (...) são desconhecidos. Há duas perguntas que você deve perguntar, implicitamente, o seu médico:

1. A minha glicose em jejum é normal?

2. Se é normal, eu nunca vou desenvolver diabetes? (...)

A questão do que é glicose em jejum normal, tem sido perguntada repetidas vezes. A resposta depende das experiências dos observadores e seu tempo na história:


Medições de açúcar no sangue, em 1925, eram realizadas utilizando o método Folin-Wu. (...)

A partir de 1950, têm sido empregados métodos analíticos mais precisos e específicos para a determinação da glicose. (...) As determinações de glicose para 14.384 testes de tolerância à glicose oral foram feitas a partir do plasma sanguíneo.

Tabela 1. Glicose em jejum inferior a 110 miligramas por decilitro em 14.384 testes de tolerância à glicose designados Normal (Normal Glicose Tolerance - NGT), Intolerante (Impaired Glicose Tolerance - IGT), e Diabetes Mellitus (Diabetes Mellitus Glicose Tolerance - DMGT).

(...)

Na ausência de alto risco para diabetes e, de acordo com critérios da ADA [American Diabetes Association] (2007), as pessoas com a glicose em jejum normal, ou seja, menos do que 100 mg/dl, não seriam consideradas pré-diabéticas ou candidatas a diabetes. Elas não estariam sujeitas, portanto, a um teste de tolerância à glicose e permaneceriam, assim, sem diagnóstico e potencialmente não tratadas.

Os testes de tolerância à glicose oral (100 g de carga de glicose) com análises de insulina foram realizados no Hospital St. Joseph, Chicago, Illinois. O procedimento fazia parte do programa de pesquisa e desenvolvimento do Departamento, e tornou-se um procedimento de rotina em 1972. As pessoas testadas eram pacientes do corpo médico. Elas foram submetidas a identificação ou descarte do pré-diabetes ou diabetes. Na Tabela 1, 40% das pessoas com Diabetes Mellitus (DMGT) tinha glicose em jejum inferior a 110 mg/dl, e 20%, ou 402 pessoas de um total de 2.011, tinha glicose em jejum abaixo de 100 mg/dl. Se a sua glicose em jejum é inferior a 100 mg/dl (“normal” 2006-2007), você possivelmente pode ser como um dos 402 diabéticos e não saber disso.

O New England Journal of Medicine, de 6 de outubro de 2005, apresentou um artigo muito oportuno intitulado “níveis normais de glicose no sangue em jejum” por A. Tiroch et al. no Israeli Diabetes Research Group, N Engl J Med 353: 1459-1462. O pano de fundo para a sua pesquisa foi a questão de saber se os níveis de glicose em jejum dentro do intervalo definido recentemente, ou seja, inferior a 100 mg/dl, poderia predizer de forma independente o diabetes tipo 2 em jovens adultos. Seus dados foram obtidos a partir de medições de sangue, exames físicos, e informações médicas e de estilo de vida de homens da Força de Defesa de Israel, com idade entre 26 e 45 anos. Um total de 208 casos de diabetes tipo 2 ocorreram durante o acompanhamento (1992-2004) entre os 13.163 indivíduos que tinham níveis basais de glicose em jejum inferiores a 100 mg/dl. O estudo concluiu que níveis mais elevados de glicemia em jejum dentro do intervalo normoglicêmico, ou seja, menos do que 100 mg/dl, constituem um fator de risco independente para diabetes tipo 2 entre homens jovens, e que a manutenção em níveis normais da glicemia em jejum não exclui a subsequente ocorrência de diabetes tipo 2.


Como se percebe, fazer exames de rotina de glicose em jejum e obter um resultado “normal” não garante que você está fora de perigo.

Conforme já falamos nos posts anteriores, a elevação da glicose no sangue em jejum é a última coisa que acontece. Quando a glicose em jejum está fora de controle, você já está diabético há um longo tempo e muitos danos certamente já foram causados ao seu organismo durante esse tempo (veja aqui).

No próximo post veremos o que é insulina em jejum “normal”.


Esse assunto é novo pra você? Comece aqui.


Próximo post.



Para ficar por dentro das atualizações,
CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK:
PARTICIPE DO NOSSO GRUPO NO FACEBOOK:
E SE INSCREVA NO NOSSO CANAL NO YOUTUBE:


Nenhum comentário:

Postar um comentário