quinta-feira, 28 de julho de 2016

Como a redução calórica destrói seu metabolismo - Calorias Parte VI

How Caloric Reduction Wrecks your Metabolism – Calories Part VI
by Jason Fung

Em posts anteriores, nós analisamos como comer menos não resulta em perda de peso permanente. Nos estudos clássicos de redução calórica o resultado foi uma taxa metabólica ou Gasto Energético Total (GET) significativamente reduzido.
Vamos agora avançar para a era moderna, e olhar para este estudo publicado no prestigiado New England Journal of Medicine.
Neste experimento, 18 indivíduos obesos e 23 indivíduos não obesos com peso estável foram recrutados. Eles foram alimentados com uma dieta líquida de 45% de carboidratos, 40% de gordura e 15% de proteínas, até que o ganho de peso ou a perda de peso desejado fosse alcançado.
Um grupo tinha como alvo uma perda de peso de 10% e o outro grupo tinha como alvo um ganho de peso de 10%. Após o ganho de peso, os indivíduos, então, retornaram ao seu peso inicial, e, em seguida, foi alcançada uma perda de peso de 10% ou 20%.
A questão que eles queriam responder era o que acontecia com o GET quando o peso era aumentado ou diminuído. Isto foi conseguido sem uma alteração da composição da dieta. Isto é, a dieta líquida era uma proporção constante de carboidratos, gorduras e proteínas. A única variável era o consumo total desta dieta líquida. O que acontece com o GET quando a ingestão calórica é variada?
Em outras palavras, se reduzirmos ou aumentarmos nossas Calorias que Entram, o que acontece com as Calorias que Saem? De acordo com a teoria da Redução Calórica como Hipótese Primária (Caloric Reduction as Primary - CRaP), quando as Calorias que Entram aumentam ou diminuem, não deveria haver muita mudança nas Calorias que Saem. Ótimo! Isto é exatamente o que queremos saber também, porque nós realmente não gostamos das respostas que os estudos clássicos deram.
Resultados

Bem, o que aconteceu? O gráfico de resultados acima mostra as mudanças no GET com os diferentes grupos experimentais. Vamos começar olhando para o grupo de ganho de peso de 10%. Em resposta ao ganho de peso as pessoas aumentaram seu gasto de energia em cerca de 500 calorias/dia.
Lembre-se que um dos pressupostos fundamentais da teoria CRaP é que, em resposta à mudança calórica, o GET não muda. Isto claramente NÃO É VERDADE.
Em vez de seguir um modelo simples de Calorias que Entram, Calorias que Saem, onde a gordura é depositada de acordo com uma ingestão excessiva de calorias, parece que o corpo responde ao excesso de calorias tentando queimá-las!
Agora vamos ver o que acontece quando o peso é retornado ao normal. Aqui as coisas começam a ficar realmente interessantes. Quando o peso retorna ao normal, o GET retorna à linha de base. À medida que avançamos para 10% de perda de peso de 20% de perda de peso, o corpo reduz o GET em torno de 300 ou 400 calorias por dia.
Então, quando começamos a perder peso, o corpo responde à perda de peso, reduzindo o GET, desacelerando assim a perda de peso, e incentivando a recuperação do peso. Isso tudo é feito sem alterar a composição da dieta dos alimentos, uma vez que todos os participantes estavam tomando a mesma dieta líquida. Em outras palavras, um aumento em Calorias que Entram causa um aumento em Calorias que Saem. Uma diminuição de Calorias que Entram causa uma diminuição em Calorias que Saem. Isto, naturalmente, tende a minimizar o efeito do aumento ou diminuição da ingestão calórica.
Se você estava tentando perder peso comendo menos (redução calórica como hipótese primária), este é o lugar onde você vai pensar “Oh, meu Deus, isso é uma m#@$%!”
Em vez de uma simples balança de equilíbrio de Calorias que Entram Calorias que Saem, parece que o nosso corpo age muito mais como um termostato. Isto é, o corpo parece ter um certo ponto de ajuste de peso (BSW - Body Set Weight). Qualquer tentativa de aumentar acima deste BSW resultará em uma tentativa do nosso corpo de retornar ao seu peso original, aumentando o GET (aumentando o metabolismo para queimar as calorias em excesso).
Quaisquer tentativas para diminuir abaixo deste BSW resultará em uma tentativa do nosso corpo de retornar ao seu peso original, diminuindo o GET (diminuindo o metabolismo para recuperar as calorias perdidas). Não é de admirar que é tão difícil manter o peso! Quando nosso metabolismo desacelera, precisamos reduzir mais e mais a nossa ingestão calórica para manter a perda de peso.
Hmm. Isso realmente faz muito sentido. Na verdade, este é pressuposto#4 da teoria CRaP. Nós assumimos que o ganho de gordura ou perda não é regulado pelo corpo. Assumimos que, à medida em que nós comemos mais nós continuamos a ganhar peso e à medida em que nós comemos menos nós continuamos a perder peso. Mas não existe um sistema no corpo que não seja regulado! Tudo está sob controle hormonal. Faz muito mais sentido que o corpo tenha um sistema para controlar o peso corporal. (Na verdade ele tem vários sistemas).
Vamos colocar isso em um contexto de dieta. Suponha que estamos em um peso estável. Nós comemos 2000 calorias e queimamos 2000 calorias por dia. Nós mantemos a nossa dieta constante, apenas aumentamos ou diminuímos a quantidade. Suponha que aumentamos nossas porções, mas fora isso, mantemos a nossa alimentação constante.
O peso pode aumentar, mas a resposta do corpo seria aumentar o gasto energético total diário - a temperatura corporal pode aumentar, a energia e a sensação de bem-estar pode aumentar. Nós podemos comer  2.500 cal/dia, mas o corpo já aumentou o GET para 2.500 cal/dia. Nenhum peso adicional será adquirido e o corpo vai tentar reduzir o nosso peso de volta ao original. Nesse meio tempo, nos sentimos ótimos.
Vamos fazer o oposto - a técnica dietética equivocada de controle das porções. Nós reduzimos o tamanho das porções, mas mantemos a constância das refeições e a composição das mesmas. Nós reduzimos nosso consumo de calorias de 2000 cal/dia para 1.600 cal/dia. O nosso peso pode reduzir, mas, em seguida, o corpo iria responder, reduzindo o GET para cerca de 1.600 cal/dia. Podemos sentir frio, nos sentir cansados, miseráveis e com fome. Se você já fez uma dieta - você provavelmente sabe como é isso.
A pior parte é que nós não perdemos qualquer peso a mais, porque estamos comendo menos e queimando menos. Qualquer deslize na dieta, mesmo ao normal de 2.000 cal/dia anterior, resultará na recuperação do peso. O desânimo se instala. Nós ficamos cansados de nos sentirmos tão mal e então voltamos para a nossa dieta regular. Todo o peso volta rapidamente e com um pouco extra para garantia. Na verdade, isto é exatamente o que aconteceu nos experimentos de semi-inanição feitos pelo Dr. Ancel Keys, bem como aqueles na Instituição Carnegie em 1917.
Sentimos que falhamos. Pensamos que a culpa é nossa. Nossos médicos, nutricionistas e outros profissionais da área médica em silêncio noscriticam por “falharmos”. Outros silenciosamente acham que nós não temos “força de vontade”, e fazem constatações sem sentido. Soa familiar? Sim, eu pensava que sim.
Mas, na verdade, a falha não era nossa. A dieta de controle das porções é praticamente garantida a falhar. Provou-se várias e várias vezes nos últimos 100 anos. A única razão pela qual pensamos que ela funciona é porque todo mundo - os médicos, os nutricionistas, os “cientistas”, a mídia - nos convenceu de que é tudo sobre calorias.
É evidente que algo está causando nosso ganhar peso, mas calorias com certeza não parecem ser o problema aqui. Qual é o problema?


Esse assunto é novo pra você? Comece aqui.



Para ficar por dentro das atualizações,
CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK:
PARTICIPE DO NOSSO GRUPO NO FACEBOOK:
E SE INSCREVA NO NOSSO CANAL NO YOUTUBE:


Nenhum comentário:

Postar um comentário