sexta-feira, 14 de setembro de 2018

Michael Pollan fala sobre nutrição, cultura alimentar e obsessões insalubres com uma alimentação saudável


Michael Pollan fala sobre nutrição, cultura alimentar e obsessões insalubres com uma alimentação saudável.
Traduzido pelo Google e adaptado por Júci de Paula. Texto original postado por Alice Dishes em seg, 5 de maio de 2014 às 08:00, link aqui.


Na noite de quinta-feira, Michael Pollan, o (praticamente) Capitão da Cruzada do mundo da alimentação ética e agricultura sustentável, regalou uma casa quase lotada no Teatro Nourse, em São Francisco. Pollan, que nos últimos 25 anos tem escrito livros e artigos sobre o lugar que a natureza e a cultura cruzam - e onde o governo frequentemente interfere – tornou-se mais do que um jornalista. Ele também é um artista, embora o seja com mensagens sérias.

quinta-feira, 30 de agosto de 2018

Como eu consegui quebrar o platô

Liss Bischoff


Eu contei minha história logo no início da criação desse blog (www.resistencia-insulina.com.br/2016/06/minha-historia.html). Contei como eu perdi aproximadamente 15 kg com low carb.
Essa perda de peso aconteceu em aproximadamente 8 meses (entre outubro de 2015 e junho de 2016). E depois disso eu fiquei por quase 2 anos com o peso oscilando 2 ou 3 quilos pra cima e pra baixo, mas sem conseguir emagrecer mais.
Eu ainda tinha um percentual de gordura relativamente elevado, que eu queria reduzir. Mas eu simplesmente não conseguia fazer a balança se mexer.
Eu fiz várias tentativas de quebrar esse platô (jejuns, cetogênica, protocolo whole30, dieta carnívora…), mas nada parecia ser eficiente. Eu chegava a perder uns 3 kg, mas a perda de peso logo estagnava novamente e os poucos quilos perdidos eram rapidamente recuperados.
Eu fiquei batendo cabeça por quase 2 anos até resolver que ia mudar isso, ia quebrar esse platô e finalmente perder o restante do peso para chegar ao meu objetivo traçado lá no início. Mas para isso eu precisava repensar minha estratégia.

Guia para nutricionistas low carb

Guide for low-carb dietitians


Por décadas, os médicos especializados em diabetes e manejo da obesidade recomendaram dietas low carb (baixo carboidrato) para seus pacientes, geralmente com excelentes resultados. No entanto, associações dietéticas e muitos nutricionistas tradicionalmente mantêm opiniões negativas sobre dietas com restrição de carboidratos, muitas vezes criticando-as por serem desequilibradas, inseguras e insustentáveis.

O insulinográfico de armazenamento de gorduras de Ted Naiman explicado

Ted Naiman’s dam fat storage insulinographic explained

by Marty Kendall


Eu recentemente compartilhei o mais recente “insulinográfico” do Dr. Ted Naiman. Isso criou uma grande discussão, bem como alguma confusão, então achei que valeria a pena escrever um artigo para desmembrar os insights críticos sobre como a insulina realmente funciona em nosso corpo e o que podemos fazer para reduzir a gordura corporal e evitar o diabetes.

Entenda porque o Homa-IR pode falhar

Liss Bischoff

Nos últimos tempos a resistência à insulina tem se tornado um assunto cada vez mais debatido. E muitas pessoas buscam ler a respeito e descobrir se têm resistência à insulina.
Do ponto de vista de exames e indicadores, o mais popular para identificar a resistência à insulina é o Homa-IR.
O Homa-IR é um indicador simples e pode ser facilmente calculado com base nos resultados de glicemia em jejum e insulina basal da pessoa (CLIQUE AQUI para ler mais sobre isso). No entanto, um resultado “normal” de Homa-IR não garante que a pessoa não tem resistência à insulina. Isso porque o Homa-IR pode deixar passar casos de resistência à insulina que seriam identificados na curva glico-insulinêmica.
Vamos explicar um pouco melhor pra ficar claro…

A low carb parou de funcionar?

O texto a seguir é transcrição de um podcast do Senhor Tanquinho, em que o Guilherme e o Roney entrevistaram o dr. Souto.
Vale a pena ler pra entender porque as pessoas normalmente param de perder peso depois de um tempo fazendo uma dieta low carb (ou qualquer outro tipo de dieta).


quinta-feira, 8 de março de 2018

A história da Rê Calixto - parte 1 (o diagnóstico)


Por Rê Calixto


Resolvi contar minha trajetória pra vocês hoje! Então... Senta que lá vem história rsrs
Eu sempre fui uma pessoa conectada com saúde, comia "saudável" (leia-se pirâmide alimentar desatualizada) e sempre fiz muito exercício físico, era bailarina clássica, dançava jazz, fazia natação, ia pra academia... Fiz faculdade de fisioterapia porque adorava movimento, meu sonho era trabalhar com esporte, fitness, bem-estar. Meu problema era o tal TCC (transtorno do comer compulsivo) ou seja, eu fazia minha refeição saudável (arroz, feijão, carnes, frutas, suco de frutas natural) e logo depois detonava 2 pacotes de bolacha ou 1 barra inteira de chocolate.... Não conseguia nem esperar as 3 malditas horas! Meu peso oscilava absurdamente e rapidamente, emagrecia rápido e engordava mais rápido ainda. Eu vivia no Vigilantes do Peso e no endocrinologista. “Precisa fazer mais exercício né Renata, ballet não é esporte...Tem que levar mais a capricho a aula de step Renata, você é muito mole!”